Produção

IG do Café da Região Oeste da Bahia

 

postado em 23/12/2011 | Há 5 anos

IG do Café da Região Oeste da Bahia

No último dia 2 de dezembro, a Abacafé realizou importante assembleia para tomada de decisão sobre o processo de construção do projeto para obtenção da Indicação de Procedência do Café da Região Oeste da Bahia. A associação, representando o setor cafeeiro do Oeste da Bahia, reuniu produtores, agentes da cadeia produtiva e membros do Ministério da Agricultura, numa agenda de apresentação dos valores a serem criados com este processo.

Na ocasião, o presidente da Abacafé Glauber de Castro esclareceu sobre o foco da Indicação Geográfica (IG) para o marketing do setor e da importância de um projeto desta natureza na fase em que o mercado e o café do Oeste da Bahia se encontram. O consultor Paulo Henrique Leme, da P&A Marketing, contextualizou sobre as IGs no Brasil e no mundo, esclarecendo os benefícios do processo de construção da Indicação de Procedência e como os produtores podem trabalhar juntos para fortalecer a marca do Café da Região Oeste da Bahia.

Presente na reunião, Aguinaldo José de Lima, cafeicultor da Região do Cerrado Mineiro, um dos idealizadores da IG daquela região, relatou suas experiências de sucesso com a reconhecida produção dos Café do Cerrado e o quanto a organização dos produtores e da produção, associada a estratégias comerciais e de marketing promoveram a agregação de valor aos cafés da região. Comentou sobre como as entidades viram a construção de uma IG, a grande oportunidade de consolidar as conquistas obtidas, através de uma validação legal e de propriedade intelectual, sobretudo porque reuniu membros para construir uma imagem inteligente.

Fazendo uma comparação com o café da Região Oeste, Aguinaldo mencionou que o mais importante é o fortalecimento da imagem da produção regional, especialmente para valorizar as vantagens da cafeicultura do Oeste da Bahia, que é reconhecida por usar alta tecnologia e mecanização, com produções regulares e em bons volumes, obtida dentro de uma região bem definida geograficamente. Finalizou conclamando a todos à união da construção de uma nova história da Cafeicultura da região.

Na oportunidade, os cafeicultores aprovaram a região geográfica do Café do Oeste da Bahia a ser reconhecida com Indicação de Procedência, sendo os municípios de Formosa do Rio Preto, Riachão das Neves, Barreiras, Luís Eduardo Magalhães, São Desidério, Correntina, Jaborandi e Cocos, desde que cultivado café arábica em áreas acima de 700 metros de altitude.

A IG representa uma nova filosofia de produção, voltada à qualidade, à especialidade e tipicidade, oriundas da origem da produção, segundo o especialista Flávio Borém, da Ufla. Além destes aspectos, o mercado demanda cafés especiais, de sabor e aroma excepcionais e com características marcantes na doçura, acidez e corpo, e por produtos cujas qualidades ou características estejam intimamente relacionadas ao meio geográfico. Diante destas razões, a IG torna-se um instrumento de desenvolvimento econômico que melhora a renda e a qualidade de vida do produtor e dos envolvidos na atividade.

Informações sobre o assunto, bem como sobre o andamento do processo, podem ser obtidas diretamente com a entidade. A construção do projeto conta com apoio do MAPA através do Convênio 755097/2010.

 

 

Veja tambÉm: