Mercado

CAFÉ: COMERCIALIZAÇÃO DA SAFRA 2011 DO BRASIL ATINGE 67% DO TOTAL

 

postado em 26/11/2011 | Há 6 anos

A comercialização da safra de café do Brasil 2011/12 (julho/junho) atingiu 67% do total até o dia 19 de novembro. O dado faz parte de levantamento de SAFRAS & Mercado. Com isso, já foram comercializadas pelos produtores brasileiros 31,85 milhões de sacas de 60 quilos de café, tomando-se por base a projeção de SAFRAS & Mercado, de uma safra 2011/12 de café brasileira de 47,7 milhões de sacas. Segundo o analista de SAFRAS & Mercado, Gil Barabach, o produtor vem aproveitando o bom momento e sem afobação continua dosando suas vendas.

Com isso, o fluxo comercial evoluiu, mas sem pesar sobre o mercado. Como comparação, no final de outubro do ano passado, 61% da safra 2010/11 havia sido negociada. O analista indica que está crescendo também o interesse por negociação com a safra 2012. Destaca que há discordância de parte dos produtores em relação aos primeiros números de produção do ano que vem no Brasil.

Muitos ainda acreditam que o preço, por causa disso, pode ficar melhor mais à frente. Mas, não tem virado as costas para o que o mercado está oferecendo nesse momento e procuram aproveitar os picos das cotações. Na dúvida, avalia Barabach, o melhor é ir se precavendo e diluindo posições da safra nova. O aumento de posições com contrato setembro/2012 na BM&F é uma prova dessa presença de espírito do produtor, observa.

A maior procura por negociações a termo e o interesse por contratos de opções contra setembro e dezembro de 2012, seja a balcão, via BM&F ou pregão na ICE Futures, reforçam essa leitura mais prática do produtor. "É preciso garantir preço remunerativo para pelo menos parte da próxima safra. E é isso que o produtor está fazendo, sem abandonar suas crenças", analisa. Assim, o cafeicultor fica mais cômodo para se acompanhar o desenrolar de crise na Europa e a confirmação ou não do quadro fundamental do café, que segue mostrando aperto na oferta contra demanda.

ADIDO USDA - BRASIL O adido do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) no Brasil manteve inalterada a estimativa para a produção de café 2011/12 (julho/junho) em 49,2 milhões de sacas de 60 quilos, representando queda de 9,7% no comparativo com 2010/11, quando o Brasil colheu 54,5 milhões de sacas.

A queda na produção é decorrência da bienalidade da lavoura cafeeira, sendo esta safra 2011/12 de baixa carga produtiva. Como comparação, enquanto o adido do USDA estima uma safra 2011/12 brasileira de 49,2 milhões de sacas, a Companhia Nacional do Abastecimento (Conab) apontou a safra brasileira 2011 no seu último levantamento em 43,22 milhões de sacas. O número do USDA é, dessa forma, 13,8% superior à estimativa do governo brasileiro. O adido prevê exportações totais de 29 milhões de sacas, com recuo de 17,2% sobre 2010/11, quando os embarques foram indicados em 35,01 milhões de sacas.

Os estoques finais de 2011/12 estão indicados em 3,386 milhões de sacas, com aumento de 14,9% contra 2010/11 (2,946 milhões de sacas). O consumo interno brasileiro, segundo o USDA, deverá subir para 19,76 milhões de sacas em 2011/12, crescimento de 2,0% no comparativo com 2010/11 (19,38 milhões de sacas).


 

 

Veja tambÉm: