Mercado

BA tem cidade com a maior renda agrícola

 

postado em 27/10/2011 | Há 6 anos

Folha de São Paulo

27/10/2011 
 
São Desidério, no oeste baiano, desbanca Sorriso (MT) como o município com a maior receita da agricultura em 2010. Dos R$ 154 bilhões obtidos pelo setor agrícola do país no ano passado, R$ 1,1 bilhão veio da cidade baiana
 
MAURO ZAFALON
COLUNISTA DA FOLHA

O algodão colocou a Bahia em definitivo no cenário nacional da produção agrícola. O Estado passa a ter o principal município brasileiro em receitas no país, desbancando a tradicional posição de Mato Grosso.

Este perde, também, a segunda colocação nacional, que passou para um município de Goiás.

São Desidério, no oeste baiano, obteve R$ 1,1 bilhão de receita no ano passado, de um total de R$ 154 bilhões obtidos no país todo.

Os dados são do IBGE e fazem parte da pesquisa PAM (Produção Agrícola Municipal) e se referem à safra do ano passado. Em 2009, a liderança era de Sorriso (MT).

São Desidério ganhou a primeira posição porque é o maior produtor de algodão do país, sendo responsável por 16% de toda a produção brasileira do produto e por 47% do que é colhido na Bahia.

Como o algodão atingiu preços recordes nos mercados externo e interno, as receitas dos produtores da região aumentaram. O município está bem posicionado, ainda, na produção de milho, detendo a sexta posição nacional. Produz também soja (10ª posição) e feijão (20ª).

LIDERANÇA
São Paulo se mantém na liderança do valor da produção agrícola brasileira, ampliando a participação para 18,2% dos R$ 154 bilhões de 2010. A liderança do Estado nas produções de alguns dos principais produtos agrícolas, como cana-de-açúcar, laranja e banana, entre outros, garantiu essa posição.

Aumento de produção e bons preços no ano passado provocaram inversão de posições entre os outros principais Estados. O Paraná elevou a participação nacional para 12,9%, assumindo a segundo posição.

Soja, milho e trigo ajudaram o Estado a mudar de posição. O Rio Grande do Sul, que era segundo, caiu para terceiro.

O café, com preços elevados nos dois últimos anos, colocou Minas Gerais no quarto lugar, com participação de 11,8%. A posição era ocupada por Mato Grosso.

A soja se manteve líder nas receitas dos produtores no ano passado (somou R$ 37,4 bilhões) e representou 24% de todo o valor de produção dos 64 produtos acompanhados pelo IBGE.

A cana-de-açúcar também tem papel importante na formação de receitas dos produtores, somando R$ 28,3 bilhões, 18% do total geral.

Um dos grandes destaques de 2010 foi o café, que teve aumento de 34% nas receitas. Com a maior parte da produção nacional concentrada em Minas Gerais, o café rendeu R$ 11,6 bilhões, abaixo dos R$ 15,3 bilhões do milho.

As receitas dos agricultores brasileiros estão concentradas basicamente em quatro produtos -soja, cana-de-açúcar, milho e café- que, juntos, renderam R$ 93 bilhões, 60% de todo o valor da produção nacional.

Os dados do IBGE mostram que os produtos de maiores receitas são os mais espalhados pelos municípios brasileiros. Os 20 maiores municípios produtores de cana-de-açúcar do país concentram apenas 12,4% da produção. No caso do milho, café e soja, os percentuais são de 16%, 19% e 23%, respectivamente.

Já maçã e dendê mostram grande concentração, com 91% e 98% de produção nos 20 principais municípios.

 

Veja tambÉm: