Mercado

UFLA promove troca de experiências entre Cerrado e Sul de Minas

 

postado em 25/10/2011 | Há 5 anos

Blog PEC/Café
25/10/2011
Nos dias 20 e 21 de outubro, cafeicultores do município de São Gotardo, no Cerrado Mineiro, tiveram a oportunidade de conhecer a cafeicultura do Sul de Minas em visita técnica e dia de campo organizados pelo Núcleo de Estudos em Cafeicultura (NECAF), da Universidade Federal de Lavras (UFLA).
 
A visita contou com a mobilização do presidente da Associação dos Cafeicultores de São Gotardo, Cesarino Bicalho e do engenheiro agrônomo do grupo Educampo/Sebrae, Jarbas de Pádua Corrêa.
 
No dia 20, os cafeicultores conheceram as instalações do Setor de Cafeicultura da UFLA, bem como os experimentos conduzidos por professores e estudantes, com destaque para as pesquisas sobre irrigação. Também conheceram os trabalhos desenvolvidos no Polo de Tecnologia em Qualidade do Café (professora Rosemary Gualberto Fonseca Pereira), no Centro de Inteligência em Mercados (professor Luiz Gonzaga de Castro Júnior) e pelo Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia do Café – INCT/Café (professor Mário Lúcio Vilela de Resende).
 
Além dos representantes do Necaf, a comitiva foi recebida pelo professor de Cafeicultura, Rubens José Guimarães e pelo gerente executivo do Polo de Excelência do Café, Edinaldo José Abrahão, que ressaltaram a importância da aproximação entre o setor produtivo e a Universidade. Eles destacaram que o conhecimento gerado só tem razão quando aplicado para o aperfeiçoamento da atividade e para a melhoria da rentabilidade do cafeicultor.
 
Para o professor Rubens, a organização de eventos desta natureza contribui para a formação dos futuros profissionais ligados ao NECAF, que se destacam pelo engajamento e pelo entusiasmo como apresentam as pesquisas em desenvolvimento na Universidade e promovem trocas de experiências com os cafeicultores.
 
Fazenda modelo – No dia 21, os cafeicultores visitaram a Fazenda Pinheiro, uma das propriedades do grupo Sete Cachoeiras Estate Coffee , no município de Campos Gerais/MG, onde foram recebidos pelo proprietário, o engenheiro agrônomo Renato Farah Brito. A Fazenda é certificada pela UTZ Certified e Rainforest Alliance e se destaca pela gestão e organização de todas as atividades, do planejamento na implantação das lavouras à conquista do seleto mercado de cafés especiais. A propriedade mantém uma área de 470 hectares de café irrigado por gotejamento e está implantando progressivamente o sistema safra-zero.
 
Vários detalhes da fazenda chamaram a atenção dos visitantes, principalmente o manejo de conservação dos recursos hídricos, que demonstra a preocupação com a destinação correta da água residuária. O manejo pós-colheita também é diferenciado pelo processo de descascamento dos grãos cereja, verde e bóia, que seguem para tulhas separadas por qualidade de bebida e completam o ciclo de rastreabilidade, da semente ao comprador final dos lotes.
 

Veja tambÉm: