Mercado

Venezuela estima que poderá importar 70% de sua demanda de café em 2012

 

postado em 21/08/2011 | Há 6 anos

20/08/2011- O diretor da Fedeagro (Federação de Agricultura da Venezuela), Vicente Pérez, ressaltou que para o próximo ano o país deverá ter de importar cerca de 70% do café que se consome no país, devido às chuvas que afetaram a produção. Ele manifestou que se espera que, proximamente, se aumento o custo da saca do produto para, pelo menos, 2 mil bolívares (465 dólares). Pérez sustentou, em uma entrevista ao programa “Atualidade”, da Unión Radio, que o preço médio da saca está congelado no país há vários meses e hoje os produtores recebem um valor menor que o custo de produção.

“Nós calculamos que o que se paga hoje é até quatro vezes menor que o que necessitamos para se ter o custo e o lucro”, indicou. “Estamos pedindo um pouco menos do que se paga na Colômbia, que é um café de melhor qualidade, e que pode ser inserido nessa faixa de preço próxima de 2 mil bolívares por saca”, ressaltou. Esse dirigente explicou que há cinco anos houve um estímulo para o setor produtor denominado “Plano Café”, no qual existiu um financiamento, concessão de unidades de transportes e oferta de maquinários. “Porém, por outro lado, não vimos aumento de produtividade, rentabilidade e a maioria dos produtores não podem pagar esses créditos que foram concedidos”, observou o dirigente da Federação.

Ele indicou que em 14 anos somente em quatro houve um ajuste de preço do café, sendo que nos outros dez anos os custos se mantiveram congelados. “Nenhuma atividade econômica pode ser mantida dessa maneira e é isso que ocorreu com a cafeicultura venezuelana”, observou Pérez, que ressaltou que atualmente há uma inflação acumulada de 330%, o que resulta numa defasagem muito grande para os preços cafeeiros.

 

 

Veja tambÉm: