Comércio

Exportações das cooperativas sobem 37,7%

Preço de commodities e alta do consumo explicam resultado do primeiro semestre, o melhor desde 2005

 

postado em 27/07/2011 | Há 6 anos

 
Tarso Veloso | De Brasília | Valor

As cooperativas brasileiras fecharam o primeiro semestre de 2011 com exportações de US$ 2,7 bilhões, uma expansão de 37,7% em relação aos US$ 1,993 bilhão registrados no mesmo período de 2010. É o melhor resultado desde o início da série, em 2005. As importações no período somaram US$ 165 milhões, uma alta de 44,4% em relação aos US$ 114 milhões de 2010.

Com as exportações em alta, o segmento registrou superávit de US$ 2,5 bilhões, recorde para o período. O resultado superou em 37,3% os US$ 1,8 bilhão de 2010. A corrente de comércio total teve o melhor resultado da série, com US$ 2,9 bilhões (+38,1%).

As cooperativas esperam, neste ano, superar os US$ 4,4 bilhões de 2010. "As perspectivas são boas por dois motivos. O primeiro é a tendência de manutenção dos preços das commodities. O segundo é o aumento de consumo", diz o analista de mercados da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), Marco Olívio Morato.

O grande desafio para as cooperativas, segundo a OCB, é o aumento do preço dos insumos. "As importações aumentaram devido à alta de preço dos insumos. Com esse acréscimo, quem sai prejudicado é o produtor, que tem sua margem de lucro afetada. O maior ganho do cooperativismo é tentar comprar os insumos em grandes quantidades para baixar os custos", diz Morato.

O principal produto exportado no semestre foi o café em grãos, com vendas de US$ 382,5 milhões, representando 13,9% do total embarcado pelo país. Em seguida, figuram açúcar refinado, com US$ 377,1 milhões (13,7%); soja em grãos, com US$ 342,2 milhões (12,5%); açúcar bruto com US$ 321,6 milhões (11,7%); e farelo de soja, com US$ 291,0 milhões (10,6%).

As maiores altas nas exportações ocorreram em março e junho. Em março, foram exportados US$ 583 milhões ante US$ 317 milhões de 2010. O saldo comercial do mês foi 90% maior quando comparado com março de 2010. E também foi o melhor deste semestre, com US$ 566 milhões em 2011 ante US$ 296 milhões em 2010. No mês de junho, foram exportados US$ 583 milhões, 76% a mais que os US$ 330 milhões de junho de 2010.

O Estado que mais embarcou produtos de cooperativas foi o Paraná. Puxado pela soja, vendeu US$ 1 bilhão, o que representou 36,7% do total das exportações do segmento. Em seguida, aparecem São Paulo, com US$ 815,1 milhões (29,7%); Minas Gerais, com US$ 386,5 milhões (14,1%); e o Rio Grande do Sul, com US$ 229,4 milhões (8,4%).

Nos seis primeiros meses de 2011, 156 cooperativas realizaram exportações. Quatro sociedades exportaram valores acima de US$ 100 milhões; três exportaram entre US$ 50 milhões e US$ 100 milhões; 29 entre US$ 10 milhões e US$ 50 milhões; 14 entre US$ 5 milhões e US$ 10 milhões; 43 entre US$ 1 milhão e US$ 5 milhões; e 63 empresas abaixo de US$ 1 milhão.

 

Veja tambÉm: