Mercado

Em Minas, Governo Estadual concede licença para o uso da água e garante irrigação de plantações de café na área da Cooxupé

 

postado em 23/07/2011 | Há 6 anos

Em Minas, Governo Estadual concede licença para o uso da água e garante irrigação de plantações de café na área da Cooxupé
 
O deputado Antônio Carlos Arantes (PSC) solicitou uma audiência com a diretora geral do Instituto Mineiro de Gestão das Águas (IGAM), Cleide Melo, para analisar e, se possível, atender às demandas do presidente da Cooperativa Regional de Cafeicultores de Guaxupé (Cooxupé), Carlos Paulino da Costa. Durante a reunião, que aconteceu na quarta-feira (13), na diretoria do IGAM, ficou decidido que as propriedades rurais nas áreas de abrangência da Cooxupé, principalmente as localizadas no Triângulo Mineiro, onde se tem a cultura do café, poderão usar a água para a produção irrigada.

Os produtores terão, até a aprovação do Novo Código Florestal, uma licença de uso da água. De posse dessa licença, poderão conseguir o financiamento junto ao Banco do Brasil para a aquisição do maquinário necessário para a extração da água e irrigação da lavoura.

“Enquanto o Novo Código Florestal não for aprovado, a situação dos produtores fica difícil. Sabe-se que a legislação poderá mudar e ninguém quer transgredir a lei, mas a produção não pode ser prejudicada enquanto a aprovação não vem”, argumentou Arantes. Segundo ele, o Governo de Minas sempre se mostrou sensível às questões levadas por ele e por representantes dos produtores rurais, quando se torna conhecedor dos reais problemas que afligem o homem do campo.


Polo de Excelência do Café adere ao movimento

 

 

 
Foi lançado nesta segunda-feira (18), na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP), o movimento Sou Agro, que tem o objetivo de destacar a importância do setor agropecuário e sua conexão com o dia a dia da sociedade. O movimento é uma iniciativa multissetorial de empresas e entidades representativas do agro brasileiro, com o desafio de reposicionar a imagem do setor como agente histórico do desenvolvimento socioeconômico do País. A expectativa é que o movimento, coordenado pelo ex-ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) Roberto Rodrigues, chegue a 70 milhões de pessoas.
 
Por compartilhar dos mesmos princípios, o Polo de Excelência do Café, como entidade motivadora de uma cafeicultura inovadora e competitiva, também apóia o movimento. Sou Agro está ancorado no tripé de ações de comunicação, campanhas publicitárias, portais e redes sociais. A proposta é que o Sou Agro seja um canal permanente entre o agro e seus diversos públicos de interesse, especialmente, o cidadão urbano.
 
A justificativa para campanha alicerça-se na importância do setor diante de uma demanda crescente por produtos para alimentar a população do mundo. Estimativas da Organização das Nações Unidas (ONU) apontam o mundo terá que produzir mais alimentos nas próximas cinco décadas do que produziu nos últimos 10 mil anos. Serão necessários cerca de 1,5 bilhão de toneladas adicionais de grãos e óleos vegetais, o que corresponde a 70% a mais de alimentos. O Brasil é o país que tem as melhores condições para atender esta demanda.
 
Veja como aderir ao Movimento. http://souagro.com.br/

Fonte: PecCafé

 

Veja tambÉm: