Mercado

Temperatura cai, mas sem provocar geada nos cafezais

 

postado em 28/06/2011 | Há 6 anos

Tomas Okuda
 
A intensa massa de ar polar derrubou as temperaturas nas áreas produtoras de café, mas não há registro de danos provocados por geadas. "As lavouras de café não sofreram com geadas, embora a madrugada desta terça-feira tenha sido uma das mais frias do ano", informa a meteorologista Cássia Beu, da Somar.
 
Ontem o Instituto Agronômico do Paraná (Iapar) e o Simepar emitiram aviso de risco de geada no Paraná, inclusive nas áreas produtoras de café do norte do Estado. No entanto, segundo a Somar, Londrina teve temperatura mínima de 3 graus e Maringá, 4 graus, o que não teria sido suficiente para provocar danos aos cafezais. Além disso, outros fatores, como o campo da pressão atmosférica na superfície não tão alto e a presença de ventos na alta atmosfera (corrente de jato) também podem ter contribuído para atenuar os efeitos do frio e reduzir as condições para geadas fortes e amplas.
 
A meteorologista acrescenta que, em Minas Gerais, principal Estado produtor de café, também não houve registro de geadas nas lavouras. Varginha teve mínima de 3 graus e Patrocínio, 4,7 graus.
 
Em contrapartida, lavouras de milho do oeste do Paraná podem ter sido prejudicadas pelo intenso frio, principalmente as plantadas mais tardiamente. Cascavel chegou a registrar temperatura mínima abaixo de zero nesta madrugada (menos 1 grau). Conforme a Somar, os prejuízos causados pelas geadas ainda não foram contabilizados pelos produtores.
 
De acordo com Cássia Beu, a tendência é a massa de ar frio perder força, elevando a temperatura ao longo da semana. No entanto, o calor deve ajudar a formar áreas de instabilidade no Paraná. Com a chegada de uma frente fria, pode voltar a chover a partir de quinta-feira no Estado. Essa frente fria deve avançar para o Sudeste no fim de semana, mas sem organizar chuvas em áreas mais ao norte de São Paulo e no Triângulo Mineiro, por exemplo.
 
Segundo a Somar, uma outra massa de ar polar, de menor intensidade do que a atual, deve alcançar a Região Sudeste na próxima segunda-feira.
 
Conselho Nacional do Café

 

Veja tambÉm: