Mercado

Carvalhaes - Mesmo o café com a pior situação dos últimos 50 anos foi contaminado pelo pessimismo nas bolsas de futuro

 

postado em 26/06/2011 | Há 6 anos

Boletim semanal - ano 78 - n° 25

Escritório Carvalhaes

Santos, sexta-feira, 24 de junho de 2011

A crise econômica na Europa e seus possíveis desdobramentos em uma economia globalizada continuaram dominando o cenário esta semana, aumentando o pessimismo dos mercados ao redor do mundo. Permaneceram em queda os preços da maioria das commodities, refletindo a desconfiança dos operadores com o quadro atual da economia mundial.

Mesmo com a mais apertada situação estatística dos últimos 50 anos e sólidos fundamentos, as cotações do café nas bolsas de futuro são contaminadas pelo pessimismo reinante nos principais centros econômicos do mundo. Na ICE Futures US apresentaram um pequeno recuo na semana.

Os operadores interessados em não deixar subir os preços do café em plena entrada da safra do Brasil, maior produtor e exportador do mundo, aproveitam o quadro de pessimismo global com a economia e lançam um factóide atrás de outro, procurando segurar as cotações no período de maior atividade do mercado físico brasileiro.

Os cafeicultores permanecem com suas atenções focadas na colheita da nova safra e aproveitam o bom tempo para acelerar os trabalhos no campo e ampliar a preparação de cerejas descascados e naturais de boa qualidade. Sentem a pressão do mercado por arábicas finos e correm contra o tempo para otimizar suas colheitas e aumentar a receita preparando o maior volume possível de arábicas de qualidade.

Até o dia 22, os embarques de junho estavam em 911.769 sacas de café arábica, 253.130 sacas de café conillon, somando 1.164.899 sacas de café verde, mais 97.603 sacas de solúvel, contra 1.386.082 sacas no mesmo dia de maio. Até o dia 22, os pedidos de emissão de certificados de origem para embarque em junho totalizavam 1.923.966 sacas, contra 1.998.698 sacas no mesmo dia do mês anterior.

A bolsa de Nova Iorque – ICE, do fechamento do dia 17, sexta-feira, até o fechamento de hoje, sexta-feira, dia 24, caiu nos contratos para entrega em setembro próximo, 200 pontos ou US$ 2,64(R$ 4,23) por saca.

Em reais por saca, as cotações para entrega em setembro próximo na ICE fecharam no dia 17 a R$ 533,41/saca e hoje, dia 24, a R$ 531,50/saca. Hoje, sexta-feira, nos contratos para entrega em setembro, a bolsa de Nova Iorque fechou com alta de 180 pontos.

 

Veja tambÉm: