Mercado

Dólar fecha a R$ 1,604 e acumula alta de 0,44% na semana

 

postado em 25/06/2011 | Há 6 anos

24/06/2011 -

SÃO PAULO - Endividamento da Grécia e a possibilidade de contágio para outros países. Esse é o tema que continua pautando a formação de preço no câmbio local e externo. E o assunto segue no foco dos agentes pelo menos até o dia 30 de junho, data final para os parlamentares gregos votarem o plano de austeridade necessário à liberação de um novo plano de ajuda que tira o país o estado de default.

Enquanto não se vê solução para o problema, o mercado continua mais propenso à compra de dólar, não por crença na economia americana, mas sim pela liquidez que a moeda oferece.

Por aqui, o dólar comercial encerrou o dia negociado a R$ 1,604 na venda, alta de 0,94%. Na semana, o preço da moeda avançou 0,44%, e o ganho no mês está em 1,52%.

Na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), o dólar pronto subiu 0,79%, para R$ 1,602. O giro caiu de US$ 275,5 milhões para US$ 147,5 milhões.

No mercado futuro, o dólar para julho registrava valorização de 0,72%, a R$ 1,606, antes do ajuste final.

No câmbio externo, o Dollar Index, que mede o desempenho da divisa americana ante uma cesta de moedas, subia 0,66%, a 75,71 pontos, maior leitura em um mês. Enquanto o euro caía 0,60%, a US$ 1,417.

O único evento da próxima semana que pode descolar o câmbio local das mazelas externas é a formação da Ptax (média das cotações ponderada pelo volume) que liquida os contratos futuros de dólar.

E considerando o tamanho das posições na BM&F, a briga entre comprados e vendidos pode ser acirrada. Vale lembrar que nos últimos meses os vendidos, que ganham com a queda do dólar, fizeram valer sua vontade, derrubando o preço do dólar independentemente de fatores externos.
No encerramento do dia 22 de junho (último dado disponível), os estrangeiros apontavam posição vendida de US$ 20,886 bilhões, cifra recorde. Na mão oposta estavam os bancos, com estoque comprado de US$ 16,522 bilhões.

(Eduardo Campos | Valor)

 

Veja tambÉm: