Mercado

COTAÇÃO DO CAFÉ - Mercado cafeeiro finalizaram a segunda-feira em campo positivo.

 

postado em 23/05/2011 | Há 6 anos

Infocafé de 23/05/11.    

 
MERCADO INTERNO
 
BOLSAS N.Y. E B.M.F.
Sul de Minas R$ 530,00 R$ 500,00  
Contrato N.Y.
Fechamento
Variação
Mogiano R$ 530,00 R$ 500,00 Julho/2011 262,55 +3,40
Alta Paulista/Paranaense R$ 520,00 R$ 490,00 Setembro/2011 265,50 +3,40
Cerrado R$ 540,00 R$ 510,00 Dezembro/2011 268,95 +3,45
Bahiano R$ 520,00 R$ 490,00  
* Cafés de aspecto bom, com catação de 10% a 20%.
Contrato BMF
Fechamento
Variação
Cons Inter.600def. Duro R$ 310,00 R$ 280,00 Julho/2011 338,60 +5,45
Cons Inter. 8cob. Duro R$ 320,00 R$ 310,00 Setembro/2011 332,35 +5,55
Dólar Comercial: R$ 1,6310 Dezembro/2011 330,50 +3,15

As operações no mercado cafeeiro finalizaram a segunda-feira em campo positivo. Em N.Y. a posição julho atingiu máxima de +5,50 pontos finalizando com +3,40, a o contrario do desempenho da maioria das commodities hoje, que caiu por causa da alta do dólar.

O dólar encerrou o dia com alta de 0,99% cotado a R$ 1,6310, seguindo a  valorização registrada no exterior. No mercado internacional,  prevaleceu o clima de aversão ao risco, uma vez que os investidores estão preocupados com a situação de alguns países da zona do euro. Além de Grécia, Portugal e Irlanda, os temores chegaram à Itália, Bélgica,  que tiveram seus ratings colocados sob perspectiva negativa e Espanha,  onde o atual governo perdeu as eleições regionais. Desde o final da semana passada, a desconfiança em relação à evolução da crise das dívidas soberanas na Europa apenas cresce. Além disso, o indicador sobre o desempenho do setor privado na região, divulgado hoje, também não ajudou. O crescimento do setor privado da zona do euro diminuiu mais do que o esperado e atingiu o ritmo mais fraco dos últimos sete meses em maio, pressionado por uma forte queda no setor industrial. Assim, o euro caiu abaixo de US$ 1,40 na mínima do dia, a US$ 1,3969.
O Banco Central fez um leilão de compra de dólares no mercado à vista, com taxa de corte de R$ 1,6314.

A IntercontinentalExchange Inc. (ICE) aumentou a banda de oscilação a partir da qual poderá cancelar operações no mercado de café arábica. A medida, válida a partir de hoje, pretende reduzir as oscilações bruscas de preços da commodity. A ICE vai anular operações lançadas a preços US$ 0,05 por libra-peso (500 pontos) abaixo ou acima do "preço de equilíbrio" na sequência de fortes oscilações de preços dos contratos futuros. Antes, essa banda era de US$ 0,39 cents por libra-peso (390 pontos). A bolsa considera uma oscilação forte quando o preço dispara e muda de direção nos próximos 90 minutos, sem justificativa de fundamentos. O preço de equilíbrio é definido pela bolsa como aquele no qual o movimento se estabiliza ap&oacut e;s uma forte oscilação. Medidas similares foram adotadas nos mercados de açúcar e cacau. Nas bolsas de algodão e suco de laranja, as oscilações são limitadas pelos limites diários de alta e baixa. Em fevereiro, os futuros de cacau despencaram 6% em um segundo. Muitos analistas atribuíram esse movimento aos negócios computadorizados de alta frequência (high frequency trade). Fontes disseram à Dow Jones que a ICE está trabalhando em uma série de "circuit breakers" para reduzir a volatilidade no mercado de açúcar. Um das opções pode ser a volta dos limites de alta e baixa. As informações são da Dow Jones.

A Frente Parlamentar Mista em Defesa da Cafeicultura será lançada em junho, em dia a ser definido. Composta por 250 deputados e senadores, a frente esteve reunida no dia 14 de abril, no Senado, para eleger sua diretoria e traçar seu roteiro de atuação. As prioridades da frente são: - apoiar os produtores para fomentar a atividade; - acompanhar junto ao governo as políticas para o café; - buscar novas tecnologias; - abrir novos mercados; - agregar valor ao café; A frente é presidida pelo deputado Diego Andrade (PR-MG). Também integram a diretoria, entre outros parlamentares, o deputado Domingos Sávio (PSDB-MG), como 1º vice; o deputado Odair Cunha (PT-MG), como 2º vice; e o deputado Cesar Colnago (PSDB-ES), como secretário-executivo. As informações são da Agência Câmara de Notícias.
 
Associação Brasileira da Indústria de Café – ABIC aproveita esta semana de comemorações em torno do Dia Nacional do Café – 24 de Maio, para realizar uma série de iniciativas dirigidas aos associados e ao público em geral, visando valorizar a qualidade e a pureza do café. Além de convocar todos os setores para que celebrem a data, a entidade lança, a partir desta terça-feira, uma campanha do Selo de Pureza que será realizada pelas indústrias nos pontos de venda, junto aos seus parceiros e consumidores.  Foram elaboradas várias peças para esta campanha, de brindes promocionais, como botton e marcador de página, a materiais para colocação em gôndola, como cartaz, banner, wobbler e testeira, além de filipetas e de spots para rádio. Todas as artes digitais foram colocadas no site da entidade para que cada associado possa fazer download e reproduzir em sua cidade.  “Tanto o tema do Dia Nacional do Café quanto esta campanha tem como objetivo promover o Selo de Pureza, programa criado há 22 anos e que teve sua importância destacada junto ao varejo supermercadista e aos consumidores com a entrada em vigor da Instrução Normativa N° 16, do Ministério da Agricultura”, diz Almir José da Silva Filho, presidente da ABIC. A IN 16, que passou a vigorar dia 23 de fevereiro passado, determina 1% como limite máximo de impureza, mesmo percentual da certificação pioneira da ABIC, que serviu de base para a normativa governamental. “Pureza agora é lei”, diz Almir Filho. Na quinta-feira (26), a entidade divulgará a pesquisa Tendências do Consumo de Café no Brasil – 2010. O estudo mostra que o consumo de café vem crescendo em todas as faixas etárias e que tem aumentado a demanda por cafés de melhor qualidade. Essa pesquisa anual, realizada desde 2003 com o apoio do Ministério da Agricultura, tem como objetivo identificar a posição do café nos hábitos de consumo e levantar informações que permitam acompanhar a evolução do mercado e detectar novas oportunidades de negócios.

 

Infocafé é um informativo diário, da Mellão Martini
 

Veja tambÉm: