Mercado

Estradas em péssimas condições preocupam cafeicultores de Patrocínio

Estradas em péssimas condições preocupam cafeicultores de Patrocínio

 

postado em 18/05/2011 | Há 6 anos

MGTV - Megaminas


Os produtores de café no Cerrado mineiro estão preocupados com as estradas municipais que estão em péssimas condições, o que pode dificultar o escoamento da safra, que começa a ser colhida no fim deste mês. Em Patrocínio, o cafezal vistoso é o motivo da alegria do agricultor Sinvaldo Alves de Matos.

Os frutos bem granados mostram que a colheita vai ser boa. “Acredito mesmo que seja um ano de baixa produtividade. Vou conseguir no mínimo uma média de 35 sacas por hectare. Mas o preço este ano é o dobro do ano passado. Estou satisfeito, já que o preço está em média R$540”, afirma o agricultor.

A colheita do café na região começa geralmente no fim de maio, início de junho. O bom preço do café no mercado anima os produtores. Mas a preocupação é da porteira para fora, com o escoamento da safra. As estradas municipais estão em péssimas condições e com isso pode aumentar as despesas. “As estradas têm que melhorar. Se não tiver boas condições, os caminhões e colheitadeiras não conseguem passar”, completa Sinvaldo.

Educação

A preocupação vai além da questão econômica, como reclama a agricultora Marilza Carnieri Zati. “O ônibus que leva as crianças percorre 30 quilômetros até chegar à escola. As estradas estão com muitos buracos e o transporte quebra”, diz.

O engenheiro da Secretaria de Obras de Patrocínio, José Maria Trindade, disse que já foi feito um projeto para resolver o problema. “Vinte e duas estradas precisam de reparos. Temos que realizar um serviço de melhoria geral e também tapar os buracos”, afirma o engenheiro.
Já o secretário de Obras do município, Helton Borges, diz que tem dinheiro em caixa para o serviço. E que nos trechos mais críticos o trabalho fica pronto em tempo. “O orçamento previsto para gastar em 2011 é em torno de R$1,5 milhão/R$2 milhões. Mas de imediato estamos dentro dos próximos 60 dias em maio/junho. Nós devemos correr todas as estradas municipais dando condições primeiramente para o escoamento da safra de café”, explica Helton.

Demora pode comprometer

O superintendente da Federação das Cooperativas do Cerrado Mineiro, Juliano Tarabal, teme que a demora nas obras comprometa o escoamento da safra. “Pretendemos esperar que tenha uma estrada boa para que o escoamento seja rápido. Porque dentro da comercialização do café o tempo é um fator fundamental para que o comprador não tenha atrasos no recebimento do produto. Portanto, as estradas precisam estar em boas condições para que a logística e o transporte sejam bem feitos”, finaliza o superintendente.

 

Veja tambÉm: