Mercado

COTAÇÃO DO CAFÉ - Após iniciar o dia em baixa, o mercado cafeeiro mudou de direção sustentado por fundos e especuladores e finalizou as operações com

 

postado em 26/04/2011 | Há 6 anos

Infocafé de 26/04/11.    

 
MERCADO INTERNO
 
BOLSAS N.Y. E B.M.F.
Sul de Minas R$ 545,00 R$ 525,00  
Contrato N.Y.
Fechamento
Variação
Mogiano R$ 545,00 R$ 525,00 Maio/2011 294,95 +7,05
Alta Paulista/Paranaense R$ 535,00 R$ 515,00 Julho/2011 296,30 +5,50
Cerrado R$ 555,00 R$ 545,00 Setembro/2011 299,15 +5,50
Bahiano R$ 535,00 R$ 515,00  
* Cafés de aspecto bom, com catação de 10% a 20%.
Contrato BMF
Fechamento
Variação
Cons Inter.600def. Duro R$ 310,00 R$ 280,00 Maio/2011 388,65 +9,65
Cons Inter. 8cob. Duro R$ 320,00 R$ 310,00 Setembro/2011 371,75 +7,60
Dólar Comercial: R$ 1,5640 Dezembro/2011 372,50 +9,25

Após iniciar o dia em baixa, o mercado cafeeiro mudou de direção sustentado por fundos e especuladores e finalizou as operações com valorização. Em N.Y. a posição julho variou entre a mínima de -3,95 e máxima de +8,70 pontos, fechando com +5,50 pts.
 
O dólar encerrou os trabalhos com queda 0,51%, acompanhando o movimento de desvalorização que persiste no exterior. Segundo operadores, a desvalorização do dólar no Brasil, tem um motivo a mais, o cenário macroeconômico e o diferencial entre os juros interno e externo continuam muito favoráveis. O Banco Central realizou dois leilões de compra no mercado à vista, mas não conseguiu conter a queda. As taxas de corte foram fixadas em R$ 1,5642 e R$ 1,5639.
Diversos integrantes da equipe econômica do governo e a própria presidente Dilma Rousseff reforçaram o empenho no combate à inflação e disseram que as medidas para conter a valorização do real já começaram a surtir efeito. O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse que o dólar estaria abaixo de R$ 1,40 sem as medidas cambiais e que isso traria problemas à indústria. Os efeitos das medidas do governo podem ser vistos nos dados do fluxo cambial divulgados pelo Banco Central, que em abril, até o dia 20 - sob o efeito do compulsório sobre posição cambial vendida excedente a US$ 3 bilhões ou o patrimônio de referência e do IOF de 6% em empréstimos externos de até dois anos -, tem saldo positivo em US$ 133 milhões. O número contrasta for temente com o desempenho dos três primeiros meses do ano, superavitários em US$ 15,5 bilhões em janeiro, US$ 7,4 bilhões em fevereiro e US$ 12,6 bilhões em março.
 
A 23ª Exposição Anual da Associação de Cafés Especiais da América (SCAA, sigla em inglês) terá o Brasil como país tema novamente, depois de 11 anos. Para ajudar os produtores a divulgarem a diversidade e qualidade da produção nacional, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento investiu R$ 1 milhão na participação do evento e numa estratégia digital voltada para a feira, realizada de 29 de abril a 1º de maio em Houston (EUA). A expectativa é gerar contatos e oportunidades com potenciais compradores durante o evento. 

O setor cafeeiro americano e mundial estará de olhos voltados para o Brasil. “Será um ambiente favorável para as regiões produtoras, associações e cafeicultores estabelecerem contatos e realizar negócios”, afirma o diretor do Departamento do Café do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Robério Silva. “O governo apoia a iniciativa e incentiva com significativos recursos, mas o trabalho é feito na base, por todos aqueles que participam da cadeia produtiva da cafeicultura nacional”, diz. O Ministério da Agricultura aproveitou a feira para lançar a estratégia digital que pretende ajudar os produtores a fecharem negócios durante e após o evento.

Para divulgar a qualidade dos cafés brasileiros no exterior, sem distinção de produtor, o ministério criou o hot site “Cafés do Brasil” que está disponível (em português, inglês e espanhol), no endereço eletrônico
www.cafesdobrasil.com.br .

A página traz informações sobre a Feira de Cafés Especiais, além de curiosidades e dados da produção brasileira, como as regiões produtoras. Outras ações de comunicação digital para reforçar a marca “Cafés do Brasil” também serão apresentadas durante o evento em Houston. O Ministério da Agricultura apresentará um aplicativo de IPAD (em português, espanhol e inglês), que mostra as características dos grãos de cada região produtora do país. A diretora-executiva da Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA, na sigla em inglês), Vanúsia Nogueira acredita que falta mostrar ao mundo a produção tão qualificada e diversificada. "Sou da opinião de que não é necessário m uito dinheiro para fazer campanhas elaboradas. Precisamos de criatividade, o que temos de sobra, e de disposição para se expor mais no mercado", afirma. 

A participação brasileira no evento está sendo organizada pela BSCA, com apoio Ministério da Agricultura, Apex-Brasil, Sebrae e entidades representativas do setor cafeeiro. Saiba Mais – Desde 1988, a Associação Americana de Cafés Especiais (SCAA) promove o maior evento de cafés especiais do mundo. A cada ano, é escolhida uma nova cidade americana. A feira tem a participação de expositores de vários países, além de produtores, exportadores, importadores, varejistas, empresários e baristas. Acesse mais informações sobre o café brasileiro e a Feira de Cafés Especiais de Houston em
www.cafesdobrasil.com.br e http://www.scaa.org/ .

 

Infocafé é um informativo diário, da Mellão Martini
 

Veja tambÉm: