Produção

Especial Região do Cerrado Mineiro - Sebrae-MG desenvolve estratégias de negócios de cafeicultores da Região

 

postado em 24/04/2011 | Há 6 anos

BASE PARA COMPETIR

Sebrae-MG desenvolve projetos para melhorar produto, processos e estratégias de negócios de cafeicultores da Região do Cerrado Mineiro.

O Sebrae-MG atua no setor cafeeiro da Região do Cerrado Mineiro há quase 10 anos. A instituição coordena o Programa Café do Cerrado, que é formado por três projetos. Por meio deles o Sebrae oferece capacitação e assistência gerencial aos produtores, acesso facilitado a certificações que propiciam a melhoria da qualidade do produto e dos processos e estímulo à internacionalização do grupo.

Com o projeto Educampo, o Sebrae-MG atende 18 grupos na região. São cerca de 300 produtores que participam de consultorias de gestão para melhorar os resultados de produtividade, rentabilidade e a sustentabilidade do negócio. Eles também recebem apoio da instituição para a certificação das propriedades. Este trabalho engloba ações de melhoria do produto e dos processos produtivos com base em critérios de qualidade. 

Com o projeto de Internacionalização do Café do Cerrado, o Sebrae-MG tem metas de melhorar o posicionamento competitivo da região em mercados como EUA, Europa e Japão e aumentar as vendas para compradores da Austrália, Canadá e países asiáticos. Para isso, a instituição apóia a nova estratégia de negócios do grupo, focada em mercados de consumo qualificado, a ampliação do número de fazendas certificadas com o selo Café do Cerrado e a participação dos produtores nos principais eventos internacionais do setor, a exemplo da SCAA, feira promovida pela Associação Americana de Cafés Especiais.

Em 2010, o Sebrae-MG iniciou os trabalhos de Certificação Fair Trade (comércio justo) com um grupo de produtores da região.  Cerca de 70 produtores de agricultura familiar serão alcançados até o final de 2011 com ações de capacitação para a certificação que garante o pagamento de um preço mínimo pela saca no mercado internacional. Para isso, os cafeicultores precisam se adaptar a exigências como respeito ao meio ambiente, respeito à legislação e às normas trabalhistas. 

Indicação geográfica

Com o apoio do Sebrae-MG, a Região do Cerrado Mineiro se tornou a primeira área produtora de café do país a conquistar a Indicação de Procedência, em 2005. A parceria da instituição com as entidades representativas dos produtores na região resultou em mais uma conquista: o pedido de Denominação de Origem junto ao INPI (Instituto Brasileiro de Propriedade Industrial).

A Denominação de Origem é a versão mais sofisticada e completa das certificações com este fim, pois determina a região de procedência de 100% da matéria-prima, as características e a qualidade da produção. Associada a ações de qualidade, profissionalização e marketing, a Denominação de Origem contribui para estimular o investimento nas propriedades, aumentar o turismo de negócios, valorizar as terras e o produto. Apenas o arroz produzido no litoral norte gaúcho possui esta certificação no Brasil.

 

Veja tambÉm: