Mercado

COTAÇÃO DO CAFÉ - Mercado cafeeiro finalizaram a quarta-feira em campo negativo.

 

postado em 23/02/2011 | Há 7 anos

Infocafé de 23/02/11.    

 
MERCADO INTERNO
 
BOLSAS N.Y. E B.M.F.
Sul de Minas R$ 530,00 R$ 505,00  
Contrato N.Y.
Fechamento
Variação
Mogiano R$ 530,00 R$ 505,00 Maio/2011 269,45 -4,90
Alta Paulista/Paranaense R$ 520,00 R$ 495,00 Julho/2011 271,40 -4,80
Cerrado R$ 535,00 R$ 515,00 Setembro/2011 272,40 -4,70
Bahiano R$ 520,00 R$ 495,00  
* Cafés de aspecto bom, com catação de 10% a 20%.
Contrato BMF
Fechamento
Variação
Cons Inter.600def. Duro R$ 300,00 R$ 270,00 Maio/2011 352,55 -5,45
Cons Inter. 8cob. Duro R$ 325,00 R$ 305,00 Setembro/2011 338,80 -6,40
Dólar Comercial: R$ 1,6730 Dezembro/2011 337,10 -6,15

As operações no mercado cafeeiro finalizaram a quarta-feira em campo negativo. Em N.Y. a posição maio variou entre a máxima de + 1,60 pontos e mínima de -6,00 fechando com - 4,90 pts. Realizações de lucros por parte de fundos e especuladores pressionaram as cotações.
 
O dólar encerrou os trabalhos com leve alta de 0,06% cotado a R$ 1,673 impulsionado pelos sucessivos leilões de compra de moeda do Banco Central. Foram quatro intervenções, duas delas compras a prazo (leilão a termo) e dois leilões no mercado à vista. Outro fator que também está chamando a atenção do mercado, é o aumento da aversão ao risco, com o agravamento do conflito político na Líbia e o alastramento dos protestos para outros países do Norte da África e Oriente Médio. O preço do petróleo subiu novamente com força hoje, refletindo o temor dos investidores relacionado a uma possível interrupção na produção e no fornecimento da commodity na região e seu impacto sobre a inflação e o cres cimento global.
No mercado internacional de moedas, o dólar perdeu terreno em relação as outras divisas. Muitos investidores estão migrando para o franco suíço em busca de segurança, a expectativa de um aumento dos juros na zona do euro e no Reino Unido por causa da pressão inflacionária sustentou a valorização do euro e da libra. Uma alta do juro na região deixaria o euro mais atraente do que o dólar e o iene, já que os bancos centrais dos EUA e do Japão não devem subir o juro no curto prazo.

Nas duas operações a termo, o Banco Central comprou dólares para liquidação em 9 de março à taxa de R$ 1,675 e para liquidação em 16 de março, a R$ 1,6768. Nas operações no mercado à vista, adquiriu moeda com taxas de corte de R$ 1,672 ainda pela manhã e de R$ 1,6755 à tarde.
 
O governo decidiu alterar parte da Instrução Normativa 16 (IN 16), que entra em vigor hoje e que trata da qualidade do café torrado e moído. A exigência de análise sensorial para avaliar a fragrância, o aroma, a acidez e o sabor foi adiada por dois anos, por meio de uma outra IN, de número 6, publicada nesta quarta-feira no Diário Oficial da União (DOU).  \"A alteração (da IN 16) é acertada e demonstra responsabilidade e sensibilidade do governo porque a análise sensorial exige a formação de provadores especializados, demandando tempo e treinamento\", informa o diretor executivo da Associação Brasileira da Indústria de Café (Abic), Nathan Herszkowicz. Segundo ele, o Brasil tem hoje inúmeros provadores de café verde, mas a especialidade é nova para o segmento de torrado e moído. \"Agora haverá tempo para se formar esses profissionais\", acrescenta. O coordenador-geral de Qualidade Vegetal do Ministério da Agricultura, Fábio Fernandes, diz que nesse período de dois anos o governo pretende promover mais cursos para formação de classificadores. Hoje são apenas 16 profissionais  treinados. A expectativa é capacitar mais 340 técnicos, além de 500 industriais. Nathan observa que a IN 16 já está valendo em outros dois aspectos: para que um produto seja considerado de qualidade, é necessário apresentar o porcentual máximo de 1% de impureza e de 5% de umidade. \"O Ministério da Agricultura vai realizar fiscalização no varejo, em pontos como, padarias, supermercados, bares,  entre outros, para análise de amostras em laboratórios oficiais\", diz o executivo. De aco rdo com ele, o setor industrial ganha com isso um reforço na questão de  fiscalização. Nathan explica que até o momento o único instrumento de vigilância é o  Selo de Pureza, pelo qual a Abic monitora a produção de torrado e moído no País há  21 anos. Anualmente, a Abic coleta cerca de 3 mil amostras em todo o Brasil.
A constatação de fraude ou adulteração no produto implica punição que vai desde a  advertência até a exclusão do quadro de associados da Abic. Quando a empresa não é associada à entidade, existe a possibilidade de defesa ou até denúncia ao Ministério Público e órgãos de vigilância sanitária.

Conforme comunicado do Ministério da Agricultura, os próximos cursos de classificadores de café torrado em grão e café torrado e moído serão retomados a partir do dia 21 de março de 2011. Durante este ano, serão formadas novas turmas nas universidades de Viçosa (UFV) e de Lavras (UFLA), no Instituto Federal de Educação, Ciências e Tecnologia do Sul de Minas, Instituto Agronômico do Paraná (Iapar), Associação Comercial de Santos e nos Sindicatos das Indústrias de Café (Sindicafé) em São Paulo e Minas Gerais.

 

Infocafé é um informativo diário, da Mellão Martini
 

Veja tambÉm: