Comércio

Exportação de café atinge 698 milhões de dólares nas cidades da região em 2010

 

postado em 24/01/2011 | Há 7 anos

Como registrado em anos anteriores, o café é de fato o maior gerador de divisas para a região quando o assunto é exportação. Segundo dados divulgados pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), foram recebidos de países europeus, asiáticos e para os Estados Unidos cerca de US$ 698,3 milhões pelo produto em 2010. Nessa conta estão os municípios de Alfenas, São Sebastião do Paraíso, Piumhi e o responsável por mais da metade das exportações, Guaxupé.

No segundo lugar do ranking dos principais produtos aparece o níquel, comercializado por Fortaleza de Minas. O único produto exportado pela cidade movimentou em 2010 exatos US$ 193.748.141. Na terceira colocação veio o açúcar, oriundo de Piumhi e Passos. As duas cidades juntas ganharam no ano passado US$ 75 milhões nas vendas do produto para o exterior. O frango processado em Passos aparece em terceiro. Em 2010 foram quase US$ 35,5 milhões em vendas.

O retrospecto de Passos vem melhorando a cada ano. Enquanto em 2008 o saldo da balança comercial da cidade foi de US$ 40 milhões e em 2009 de US$ 46 milhões, no ano passado ficou perto dos US$ 55 milhões. O aumento de quase 20% se deu por causa da expansão dos negócios com a Rússia, Emirados Árabes, Hong Kong, Nigéria, Benin e Malásia.

Piumhi

Quem tem motivo para comemorar o desempenho na balança comercial é Piumhi. Em termos percentuais, nenhum outro município foi páreo para a cidade, que negocia com Alemanha, Bélgica, Itália, França e Finlândia. Em 2010 a cidade exportou mais de US$ 200 milhões, o melhor resultado da história do município, e fechou o ano com um saldo na balança comercial de US$ 199 milhões.

Alfenas

Na região, nenhuma balança comercial vem se mostrando tão desequilibrada quanto a do município de Alfenas. Desde que o levantamento começou a ser realizado, a cidade nunca conseguiu encerrar o ano com saldo positivo, sendo o pior de sua história em 2008.
O grande problema nem é a redução nas exportações, mas o quanto é importado por ano, sobretudo, fios de poliéster. Em 2010 foram quase 71 milhões de aquisições só desse tipo de produto, o que representa praticamente 95% das importações locais.

Guaxupé

O café produzido no município, de fato, gera muitas divisas e segue com tendência de aumento. A cidade que abriga a maior cooperativa de café do mundo, em 2010 exportou mais de US$ 410 milhões, Guaxupé se recuperou em 2009, quando encerrou ano com um sal do de US$ 304 milhões, US$ 48 milhões a menos que em 2008. Só em novembro e dezembro do ano passado foram US$ 60 milhões.

O café, principal produto exportado, foi praticamente o responsável por todos os negócios realizados com outros países em Guaxupé. Foi registrado também um aumento significativo em relação a 2009. Daquele ano até 2010, as vendas de café aumentara mais de US$ 150 milhões. Os principais países que adquirem café de Guaxupé são Estados Unidos, Alemanha, Itália e Bélgica.

A cidade também é uma importadora média, já que faz negócios Rússia, Bielorrússia e China na casa dos US$ 9 milhões. Desses países são comprados produtos químicos e fios de cobre.

Fonte: Folha da Manhã/ Firmino Júnior

 

 

Veja tambÉm: