Mercado

COTAÇÃO DO CAFÉ - Mercado cafeeiro finalizaram a terça-feira em campo positivo

 

postado em 28/12/2010 | Há 7 anos

Infocafé de 28/12/10.    

 
MERCADO INTERNO
 
BOLSAS N.Y. E B.M.F.
Sul de Minas R$ 425,00 R$ 410,00  
Contrato N.Y.
Fechamento
Variação
Mogiano R$ 425,00 R$ 410,00 Março/2011 239,30 +1,85
Alta Paulista/Paranaense R$ 420,00 R$ 405,00 Maio/2011 240,65 +1,85
Cerrado R$ 430,00 R$ 420,00 Setembro/2011 235,50 +2,35
Bahiano R$ 420,00 R$ 405,00  
* Cafés de aspecto bom, com catação de 10% a 20%.
Contrato BMF
Fechamento
Variação
Cons Inter.600def. Duro R$ 255,00 R$ 245,00 Março/2011 292,50 +2,45
Cons Inter. 8cob. Duro R$ 295,00 R$ 285,00 Setembro/2011 284,90 +1,90
Dólar Comercial: R$ 1,6910 Dezembro/2011 283,50 +1,50

As operações no mercado cafeeiro finalizaram a terça-feira em campo positivo. Em N.Y. a posição março variou entre a mínima de -1,35 pontos e máxima de + 2,45 fechando com +1,85 pts.  Contínuas preocupações com a oferta, especialmente nas Américas do Sul e Central, puxam as cotações. No entanto, o volume de negócios é extremamente baixo neste fim de ano. Além de esta semana estar no meio de dois feriados, a nevasca que atingiu ontem e domingo três Estados americanos prejudicou as condições de transporte na cidade de Nova York e tem contribuído para o esvaziamento das bolsas.
 
O dólar retomou o campo positivo, após registrar seis consecutivos de queda e finalizou o dia com uma modesta alta de 0,12%.  A terça-feira, foi de muita oscilação, no início do pregão, a moeda norte-americana tinha queda consistente ante as demais divisas, mas inverteu o sinal e acabou se valorizando em relação ao real. Segundo analistas, as operações domésticas acompanham o movimento verificado nos demais mercados, onde o euro passou a cair ante o dólar e as bolsas de valores perderam força. De acordo com um operador, o dólar seguiu o movimento nos mercados internacionais. \"A mexida aqui foi um ajuste de ativos, até mesmo porque o dólar estava em patamar baixo.\" Ainda segundo ele, o movimento financeiro foi melhor hoje, com alguns investidores adiantando operações, uma vez que a semana será mais curta. O Banco Central realizou um único leilão e comprou dólares com taxa de corte de R$ 1,6921.
 
O Serviço Meteorológico Nacional informou nesta terça-feira que as temperaturas voltarão a cair no Valle do México, com possibilidade de geadas em pontos isolados, principalmente em zonas mais altas. Algumas áreas cafeeiras de Veracruz e de regiões adjacentes poderão ser novamente afetadas pelo fenômeno climático. Além do clima frio, a região deverá sofrer com ventos, que poderão variar de 20 a 35 quilômetros horários. O governo do Distrito Federal (Cidade do México) informou que as temperaturas continuarão muito baixas com geadas e ventos e que a população, diante dessa situação, deve tomar algumas medidas. A onda de frio que assola o México se deriva da presença de uma massa de ar frio no proces so de modificação que cobre o oriente do país, mantendo, assim, o fluxo de umidade, com potencial de chuvas dispersas ao longo do litoral do Golfo do México. No café, até o momento, as geadas afetaram apenas a zona de Córdoba, onde, ao longo da noite do último domingo, os termômetros bateram em 8 graus e na zona de Coscomatepec e Huatusco, duas importantes áreas produtoras de café, as temperaturas atingiram 3 graus, com geadas.
 
As exportações de café do Vietnã em dezembro deverão ficar estáveis em relação ao mesmo mês do ano passado em termos de volume, mas terão uma alta de 22% em valor, de acordo com o Escritório Geral de Estatísticas do governo. A expectativa é de que as exportações de café em dezembro vão totalizar 130 mil toneladas, ou 2,17 milhões de sacas, com uma receita de US$ 122 milhões, de acordo com o órgão. Em dezembro de 2009, o Vietnã exportou 130 mil toneladas, avaliadas em US$ 182 milhões. O escritório de estatísticas revisou para baixo as exportações de café em novembro, para 69 mil toneladas, contra estimativa anterior de 80 mil toneladas. No ano-safra 2010/11, que começou em 1º de outubro, o Vietnã exportou até agora 256 mil toneladas de café, ou 4,27 milhões de sacas, queda de 9,2% na comparação anual. Em receita houve alta de 11%, para US$ 439 milhões. As informações são da Dow Jones.
 
A produção de café do Vietnã no atual ano-safra deve atingir 1 milhão de toneladas, ou 16,67 milhões de sacas, informou hoje o Ministério da Indústria e Comércio. Isso representa uma queda de 15% em relação à meta inicial e fica abaixo das 19,33 milhões de sacas produzidas no ano encerrado em 1º de outubro, disse o ministério em comunicado, atribuindo o declínio a condições climáticas desfavoráveis. Os altos preços do café vão compensar a queda na produção, de acordo com o ministério, que destacou que os preços domésticos atingiram máximas de dois anos entre US$ 1,80 e US$ 1,85 por quilo. O preço de exportação permanece em US$ 1.855 a tonelada FOB no porto de Ho Chi Minh City, disse o ministério.

 

Infocafé é um informativo diário, da Mellão Martini

 

Veja tambÉm: