Mercado

COTAÇÃO DO CAFÉ - Mercado cafeeiro encerrou as operações de hoje em queda

 

postado em 30/09/2010 | Há 6 anos

Infocafé de 29/09/10.    

 
MERCADO INTERNO
 
BOLSAS N.Y. E B.M.F.
Sul de Minas R$ 337,00 R$ 327,00  
Contrato N.Y.
Fechamento
Variação
Mogiano R$ 337,00 R$ 327,00 Dezembro/2010 185,75 -3,20
Alta Paulista/Paranaense R$ 327,00 R$ 317,00 Março/2011 187,25 -3,05
Cerrado R$ 342,00 R$ 332,00 Maio/2011 187,05 -2,90
Bahiano R$ 327,00 R$ 317,00  
* Cafés de aspecto bom, com catação de 10% a 20%.
Contrato BMF
Fechamento
Variação
Cons Inter.600def. Duro R$ 240,00 R$ 230,00 Dezembro/2010 220,35 -3,25
Cons Inter. 8cob. Duro R$ 265,00 R$ 255,00 Março/2011 220,60 -2,85
Dólar Comercial: R$ 1,7050 Setembro/2011 222,30 -2,80

Pressionado por um movimento de correção após a alta registrada na terça-feira, o mercado cafeeiro encerrou as operações de hoje em queda.  Em N.Y. a posição dezembro variou entre a máxima de +0,50 e mínima de -5,70 fechando com -3,20 pontos.
 
O dólar fechou hoje com queda de 0,29% cotado a R$ 1,705, este é o valor mais baixo desde 9 de novembro de 2009, quando a moeda encerrou o dia a R$ 1,7010. O recuo da moeda foi impulsionado pelo fluxo positivo e pela afirmação do ministro da Fazenda, Guido Mantega, ontem à noite, de que o governo não planeja fazer nenhuma alteração no Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) neste momento, mas depois das eleições, não se sabe, uma vez que todas as possibilidades continuam em aberto.
No exterior, o dólar operou pressionado, com investidores considerando como quase certo que o Federal Reserve (Fed, banco central norte-americano) vai adotar novas medidas para flexibilizar ainda mais a política monetária norte-americana. A perspectiva de mais flexibilização está levando investidores a antecipar a venda da moeda, considerando que a taxa de juro nos Estados Unidos permanecerá reduzida por um período maior do que o esperado. O ICE Dollar Index, que reflete a cotação do dólar contra uma cesta de moedas mais negociadas, caiu para uma mínima em oito meses, a 78.620. O euro, por sua vez, renovou mais uma vez a máxima desde abril contra o dólar, atingindo US$ 1,3644 na máxima intraday.
 
As exportações de café da Índia devem superar 240 mil toneladas em 2010, maior nível em quatro anos, devido à produção maior e à firme demanda externa, disse nesta quarta-feira Ramesh Rajah, presidente da Associação dos Exportadores de Café da Índia. Em 2009, os embarques atingiram 187.347 toneladas, segundo dados do Conselho de Café. O país exporta cerca de dois terços da produção local, principalmente para Europa, com Alemanha, Itália, Rússia e Bélgica respondendo por mais da metade da demanda geral. No período de 1º de janeiro a 17 de setembro de 2010, as exportações do grão subiram quase 60% frente ao mesmo intervalo do ano anterior, para 220.458 toneladas. A Índia, segundo maior produtor do grão na Ásia, deve colher 289.600 toneladas no ano-safra 2009/10, que termina amanhã (dia 30), alta de 10,4% em relação à última temporada, informou o conselho. Segundo Rajah, a produção indiana deve alcançar cerca de 304 mil toneladas em 2010/11, ligeiramente abaixo das 308 mil toneladas previstas em junho pelo Conselho de Café. Chuvas excessivas em importantes áreas de cultivo afetaram a safra, de acordo com autoridades da indústria. Karnataka é o principal Estado produtor da Índia. Kerala e Tamil Nadu, também no sul do país, são outras regiões de destaque.  \"Uma queda [na produção] é esperada em Tamil Nadu e em algumas partes de Karnataka\", disse Rajah, acrescentando que as atuais condições da safra são boas e as entregas devem ser efetuadas no prazo. O café arábica é normalmente colhido em novembro, e o robusta em fevereiro. As informações são da Dow Jones.

As exportações mineiras do complexo café, no período de janeiro a agosto de 2010, alcançaram receita recorde na comparação dos resultados obtidos pelo estado em cada um dos períodos acumulados dos oito primeiros meses do ano desde 2001. Esta é uma das conclusões da Superintendência de Política e Economia Agrícola da Secretaria de Estado de Agricultura, após avaliar dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. O valor das exportações estaduais do café, até agosto de 2010, foi de US$ 2,2 bilhões, 26,3% superior ao registrado no mesmo período de 2009. De acordo com Márcia Aparecida de Paiva Silva, assessora técnica da Superintendência, \"o grande sucesso das vendas externas nesse segmento é decorrente do crescimento das exportações de café em grão, que representou cerca de 99,5% dos embarques mineiros do complexo café, nos primeiros oito meses. O crescimento da receita de exportação do grão foi de 27% ante o período de janeiro a agosto de 2009\". As exportações mineiras fazem do estado o maior exportador mundial de café em grão, respondendo por 78,5% dos embarques nacionais. As informações são do Diário do Comércio.

 

Infocafé é um informativo diário, da Mellão Martini
 

Veja tambÉm: