Mercado

Expo Xangai 2010 exibe cafés brasileiros

O objetivo é promover os cafés gourmet e a atividade sustentável da agroindústria

 

postado em 24/09/2010 | Há 7 anos

O início da primavera no Brasil (23) marcou também o dia do café brasileiro, torrado em grãos ou torrado e moído, na China, onde está sendo realizada a Expo Xangai 2010, mostra universal aberta em 1º de maio e que termina dia 31 de outubro.

Além de degustações no Pavilhão do Brasil, 30 distribuidores brasileiros que já vendem cafés do Brasil para o mercado  chinês, atendendo a restaurantes, hotéis e redes de fast-food, participaram com seus parceiros.

A iniciativa foi da ABIC - Associação Brasileira da Indústria de Café em parceria com a Apex-Brasil, e teve como objetivo promover os cafés gourmet, a cultura e a atividade sustentável da agroindústria do país junto aos consumidores chineses.
Entre as empresas brasileiras presentes estavam a Cia. Cacique, com o seu Café Pelé, e a Agrofood, que está comemorando três anos de vendas do Café Machado para a China.

A Expo Xangai conta com a participação de 190 países e de 50 organismos internacionais, incluindo ONGs e deverá ser visitada por 70 milhões de pessoas durante os seis meses de realização. Trata-se do terceiro maior evento internacional do mundo, atrás apenas dos Jogos Olímpicos e da Copa do Mundo.
As exposições universais ou mundiais são grandes feiras das nações, organizadas por um país que convida os outros pelos canais diplomáticos. Tiveram início no século XIX com o objetivo de apresentar ao público os avanços tecnológicos das nações. A primeira foi em Londres, em 1851, e seu maior legado é o Palácio de Cristal. O mais famoso legado das expos, porém, é a Torre Eiffel, construída para a feira de Paris de 1889.

Atualmente, as exposições universais - como a Expo Xangai - se realizam a intervalos regulares de cinco anos e têm duração de seis meses. Entre uma e outra, ocorrem as exposições internacionais, que duram três meses.

 

 

Veja tambÉm: