Mercado

COTAÇÃO DO CAFÉ - Mercado cafeeiro finalizou as operações em campo positivo nesta quinta-feira

 

postado em 24/09/2010 | Há 7 anos

Infocafé de 23/09/10.    

 
MERCADO INTERNO
 
BOLSAS N.Y. E B.M.F.
Sul de Minas R$ 332,00 R$ 322,00  
Contrato N.Y.
Fechamento
Variação
Mogiano R$ 332,00 R$ 322,00 Dezembro/2010 181,65 +1,75
Alta Paulista/Paranaense R$ 322,00 R$ 312,00 Março/2011 183,10 +1,55
Cerrado R$ 337,00 R$ 327,00 Maio/2011 182,55 +1,55
Bahiano R$ 322,00 R$ 312,00  
* Cafés de aspecto bom, com catação de 10% a 20%.
Contrato BMF
Fechamento
Variação
Cons Inter.600def. Duro R$ 240,00 R$ 230,00 Dezembro/2010 216,05 +1,70
Cons Inter. 8cob. Duro R$ 265,00 R$ 255,00 Março/2011 216,60 +1,50
Dólar Comercial: R$ 1,7180 Maio/2011 218,00 +1,50

O mercado cafeeiro finalizou as operações em campo positivo nesta quinta-feira, com a posição dezembro registrando alta de 1,75 pontos. No interno vendedores dosando suas ofertas com alguns negócios sendo realizados.
 
O dólar fechou em queda de 0,23% a R$ 1,718. O volume de negócios foi reduzido, o fluxo positivo  por causa da capitalização da Petrobras e cautela com poder de compra de dólares pelo Fundo Soberano do Brasil (FSB), combinados, mantiveram a moeda dos EUA em desvalorização. No exterior, o dólar recuperou-se ante o euro, depois de dois dias de baixas, motivados pelos números ruins sobre a economia da zona do euro, preocupações com a Irlanda e aumento dos pedidos de auxílio-desemprego nos EUA. N o mercado interno, o fato de a Ptax de hoje ser a referência para a conversão do preço em dólar das ações da Petrobras para real no processo de capitalização da empresa não provocou fortes oscilações, como se esperava.
 
O diretor-executivo da Organização Internacional do Café (OIC), Néstor Osorio, acredita que o mercado ficará ainda mais apertado no próximo ano. Atualmente, a principal preocupação é se a oferta será suficiente para dar conta da demanda. Osorio lembrou que, em 2011, a produção brasileira apresentará ciclo negativo e as projeções apontam para queda entre 15% e 20% na oferta do País. Além disso, condições adversas de clima estão afetando as plantações no Vietnã. A safra da Colômbia pode ter alguma recuperação, mas não será suficiente para compensar a retração nos demais produtores. \"O mercado está muito nervoso, com muita movimentação e especulação\", disse há pouco, em entrevista coletiva na se de da OIC, em Londres. A entidade estima produção mundial entre 133 e 135 milhões de sacas de 60 kg de café para 2010/2011. A estimativa para o consumo é de 130 a 132 milhões de sacas. Essa relação puxa os preços do café, alimentados também pelo dólar fraco. O setor passou por dois anos seguidos de déficit na Colômbia, se m produto similar capaz de fazer a substituição no mercado. \"Os estoques estão sendo usados\", reforçou Osorio. Segundo ele, o consumo também está dinâmico e mesmo a pequena queda registrada durante a crise não foi suficiente para reverter a tendência de alta. Nos últimos dez anos, a demanda por café foi elevada em 25 milhões de sacas. \"A demanda continua muito forte. A grande preocupação é saber como manter a oferta de café.\"  Embora cite a especulação como fator a pesar sobre o mercado, Osorio disse que a OIC não qualifica a atividade de investidores privados no setor. Ele também não quis manifestar opinião sobre a nova legislação proposta na Europa para conter a especulação. \"Não temos capacidade de determinar se a política de controle dos derivativos é apropriada ou não.\"
 
A produção de café do Vietnã no próximo ano-safra, que começa em 1º de outubro, pode ficar 10% abaixo das 18,72 milhões de sacas de 60 quilos cada previstas pela Organização Internacional de Café (OIC), disse hoje uma autoridade da Associação Vietnamita de Café e Cacau (Vicofa, na sigla em inglês). Se concretizado, o volume produzido em 2010/11 será inferior em relação ao nível desta temporada. De acordo com um relatório divulgado em setembro pela OIC, a safra vietnamita deve somar 18 milhões de sacas em 2009/10. Nas regiões de Gia Lai e Kon Tum, próximas de Dak Lak, a produção pode cair até 20% no próximo ano-safra, revelou a autoridade da Vicofa. Juntas, as áreas respondem por cerca de 10% da quantia total produzida pelo Vietnã. \"Teremos mais clareza sobre tais estimativas após observarmos o clima no mês que vem\", afirmou ele. Embora algumas lavouras de café tenham sido danificadas por fortes chuvas na região, produtores têm utilizado menos fertilizantes por causa dos altos custos envolvidos na aplicação, explicou a fonte. Ambos os fatores podem reduzir a produtividade da safra em 2010/11, segundo ele. Além disso, as plantações também estão envelhecendo, sendo que quase 30% dos cafezais no país têm mais de 20 anos de idade, acrescentou ele. A autoridade disse que os preços globais do grão devem permanecer elevados, já que os estoques atuais estão baixos. O contrato novembro do café robusta na Bolsa de Londres (Euronext Liffe) fechou cotado a US$ 1.696 por tonelada na quarta-feira, alta de 4,1% em relação à semana passada. As informações são da Dow Jones.

 

Infocafé é um informativo diário, da Mellão Martini
 

Veja tambÉm: