Mercado

Nova York despenca 8% com pessimismo nos Estados Unidos

 

postado em 24/08/2010 | Há 7 anos

Agência Estado | CNC
24/08/2010

Os preços futuros do café arábica despencaram nesta terça-feira na bolsa ICE Futures US, em Nova York. O mercado passou por uma correção técnica, na medida em que se encontrava sobrecomprado e próximo às máximas em 13 anos. Vendas de fundos iniciaram o movimento de queda. Os lotes para entrega em dezembro, os mais líquidos, mergulharam 1.480 pontos ou 8,08% e fecharam cotados a 168,45 cents/lb.

Diante de dados piores do que o esperado sobre a venda de imóveis residenciais usados nos Estados Unidos, traders ficaram preocupados com a situação da economia. Em aversão ao risco, investidores venderam ações e commodities, derrubando as cotações em muitos mercados.

Os preços do café haviam subido cerca de 40% desde o início de junho, puxados por compras de fundos e sustentados por questões de oferta. O abastecimento com grão arábica suave e lavado, de maior qualidade, continua restrito após dois anos de quebra na safra de Colômbia e América Central. O rali recente ocorreu mesmo diante do fato de que o Brasil, maior produtor mundial , vem colhendo uma safra que pode ser recorde, enquanto o suprimento de América Central e Colômbia começa a chegar. Um trader afirmou que os futuros de café alcançaram nível considerado alto demais.

\"Para mim, o movimento ocorreu com atraso\", disse o analista Marcio Bernardo, da corretora Newedge. \"Toda semana, muito café do Brasil se torna disponível\", completou. Mais de 80% da safra brasileira foi colhida.

Na bolsa de Londres (Liffe), o café robusta também caiu com força, atingindo o menor nível em nove semanas. \"Basicamente, tivemos uma grande aversão ao risco em muitos mercados\", disse um trader. \"Em Londres, vimos uma liquidação massiva diante de um baixo volume (de negócios).\"

No entanto, participantes do mercado acreditam que as cotações se estabilizarão com compras de indústrias. Veja abaixo como ficaram os principais vencimentos do café em Nova York e Londres. As informações são da Dow Jones.

 

Veja tambÉm: