Mercado

Polícia lacra poço artesiano de fábrica de café, em Nova Iguaçu RJ

 

postado em 29/07/2010 | Há 7 anos


Plantão | Publicada em 29/07/2010 às 20h11m
O Globo


RIO - Policiais da Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA) lacraram, nesta quinta-feira, um poço artesiano que fazia captação de água do subsolo sem a devida autorização legal, na fábrica de café Pimpinela, no bairro Califórnia, em Nova Iguaçu. Os agentes chegaram ao local após denúncia uma anônima.

A ação contou com equipes do Instituto Estadual do Meio Ambiente (Inea) e da Companhia Estadual de Água e Esgoto (Cedae). Eles verificaram que, apesar de existir a ligação regular da Cedae no local, ela não era usada. Segundo os agentes, a fábrica usava água do poço artesiano, que funcionava há seis anos, gerando problemas de saúde nos funcionários que a consumiam.

Os representantes da empresa responderão por crime contra o meio ambiente, com multa no valor mínimo de R$ 50 mil reais, aplicada pelo Inea. A Cedae vai realizar levantamento dos prejuízos sofridos pela utilização da água e despejo de dejetos poluidores no lençol freático.

 

COMUNICADO PIMPINELA -


Juliana Ramiro - Assessora Pimpinela

 
O Grupo 3 Corações, ao qual pertence a marca Pimpinela, comunica que a água utilizada pelos funcionários e no processo de fabricação dos produtos da marca Pimpinela, é captada, tratada e monitorada através de análises interna e externa para atestar sua potabilidade (Microbiológico e Físico-Química) conforme normas da ANVISA, e que nenhum funcionário ou produto fabricado pela unidade de Nova Iguaçu teve contato com água imprópria para consumo.
 
 Referente à ação realizada ontem, durante a qual o poço de água foi lacrado, a empresa informa que o processo para homologação do uso do poço em questão foi iniciado dia 06 de novembro 2006, junto ao INEA - Instituto Estadual do Ambiente, e que até a presente data, a empresa não recebeu se quer um único retorno verbal ou escrito sobre o processo de outorga do poço.
 
 A fábrica da Pimpinela passou a utilizar o poço após a abertura do processo junto ao INEA, em 2006, pela razão do abastecimento público em dada época ser falho, chegando a faltar água com freqüência.
 
 Quanto ao teste de potabilidade da água, o mesmo se dá com a perfuração do poço a ser analisado. Ao realizar o teste de potabilidade (Microbiológico e Físico-Química), conforme portaria vigente de água da ANVISA, os resultados apresentados sempre mostraram que a água em questão está apta para consumo conforme laudos em anexo.
 
 Ontem, 29 de julho de 2010, representantes da CEDAE - Companhia Estadual de Águas e Esgostos, do INEA e do DPMA - Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente lacraram poço em questão. Segundo o entendimento da DPMA, a empresa está em desacordo com o decreto 49156.
 
 A Pimpinela informa que sua fábrica continuará funcionando normalmente, mas sem consumir água do poço, uma vez que o mesmo está lacrado pelo DPMA. A empresa comunica ainda que não houve e não haverá prejuízos com a lacração do poço.
 
O próximo passo da empresa será buscar junto ao INEA concessão da outorga de uso do poço, requerida desde 2006, apresentando na ocasião as devidas comprovações de potabilidade da água, bem como demais documentos e informações que possam ser requeridas.

 

Veja tambÉm: