Mais Café

Seminário Cadeia Produtiva do Café e Agricultura Familiar iniciou nesta terça-feira 27 e vai até dia 29

 

postado em 28/07/2010 | Há 7 anos

Um dos segmentos agroindustriais que mais cresce no Brasil vai ser tema de seminário organizado pela Unicafes e pela Coopeter de Tocantins. Entre os dias 27 e 29 deste mês as duas organizações promovem o Seminário Cadeia Produtiva do Café e Agricultura Familiar.  A preocupação em promover debates do segmento entre agricultores familiares surge num momento em que o Brasil se destaca comoo  segundo maior consumidor de café no mundo e, também, o maior exportador.

Ao todo, cooperativas cafeeiras, compostas por agricultores familiares, de oito estados estarão reunidas em Brasília para discutir e trocar informações sobre a cadeia. Entre os temas que serão destaques no seminário está a comercialização do produto no Brasil e no mundo, tecnologias de produção, produção orgânica, apresentação de experiências de cooperativas ligadas à Unicafes e apresentação de projetos focados na cadeia do café. Já estão confirmadas a presença de representantes da Secretaria da Agricultura Familiar e da Secretaria de Desenvolvimento Territorial, ambas ligadas ao Ministério do Desenvolvimento Agrário.

é importante ressaltar que o consumo do café no Brasil foi record no ano passado: foram mais de 18 milhões de sacas consumidas no País.  Para se ter uma idéia do tamanho do avanço, em 1990 o consumo era de apenas 8 milhões de sacas. Outro fator que está ganhando destaque é a qualidade do café brasileiro, dando espaço para a agricultura familiar que se destaca pela produção de qualidade e, em alguns casos, orgânica. Essa última tendo um nicho dec onsumidores específicos que a cada dia ganha mais adeptos.

A preocupação da Unicafes e da Coopter é preparar esses cafeicultores para a expansão do mercado. No ano passado mais de 28 milhões de sacas foram exportadas. O desafio do Brasil é disputar mercado com países asiáticos que entraram fortemente no campo internacional e outros grandes produtores como a Colômbia.  Para diversificar a cadeia, outro atrativo para os produtores é a exportação do produto já industrializado, visando aqualidade superior desde o plantio até a torrefação.

Em ambos os cenários de consumo, interno ou externo, é visível o potencial do setor. A agricultura familiar não poderia ficar à margem dessa oportunidade. Os participantes serão recepcionados no dia 27, na Casa de Retiros Assunção, Setor de Grandes áreas Norte 611.

 

Veja tambÉm: