Mercado

COTAÇÃO DO CAFÉ - Mercado cafeeiro iniciou a semana em queda, em um movimento de consolidação

 

postado em 28/06/2010 | Há 7 anos

Infocafé de 28/06/10      

 
MERCADO INTERNO
 
BOLSAS N.Y. E B.M.F.
Sul de Minas R$ 315,00 R$ 305,00  
Contrato N.Y.
Fechamento
Variação
Mogiano R$ 315,00 R$ 305,00 Julho/2010 166,30 -0,70
Alta Paulista/Paranaense R$ 305,00 R$ 290,00 Setembro/2010 168,10 -0,80
Cerrado R$ 320,00 R$ 310,00 Dezembro/2010 168,20 -0,70
Bahiano R$ 305,00 R$ 290,00  
* Cafés de aspecto bom, com catação de 10% a 20%.
Contrato BMF
Fechamento
Variação
Cons Inter.600def. Duro R$ 245,00 R$ 235,00 Julho/2010 195,10 -0,55
Cons Inter. 8cob. Duro R$ 255,00 R$ 245,00 Setembro/2010 194,50 -0,55
Dólar Comercial: R$ 1,7830 Dezembro/2010 194,75 +0,75

O mercado cafeeiro iniciou a semana em queda, em um movimento de consolidação. A posição setembro fechou com -0,80 pontos após variar entre a máxima de +1,75 e mínima de -1,50 pontos, as cotações foram pressionadas por outros mercados, em meio às perdas nos índices de commodities juntamente com a valorização do dólar.
 
O dólar encerrou os trabalhos mais cedo hoje, devido ao jogo do Brasil na Copa da África, fazendo com que as mesas de operação do mercado interbancário de câmbio ficassem esvaziadas desde cedo. Com isso, o tom de cautela vindo do exterior serviu como pano de fundo para o mercado doméstico de câmbio, mesmo após o acordo firmado entre os líderes do G-20 para ajustar suas economias. A moeda americana fechou com alta de 0,22% cotado a R$ 1,783.
acordo firmado entre os países ricos e emergentes durante o encontro de cúpula do G-20, no Canadá neste fim de semana, e deu espaço a uma nova dose de cautela. Analistas internacionais avaliam que o compromisso assumido entre os líderes das maiores economias mundiais de reduzir os déficits orçamentários ao longo dos próximos anos gerou preocupação quanto ao futuro do crescimento econômico global. Além disso, internamente, algumas fontes alertam para o adiamento das discussões sobre a taxação global dos bancos, a fim de controlar o nível de alavancagem. \"Há uma controvérsia nesse assunto, pois se vier a regulação os mercados tendem a ficar estressados, mas, se não vier, não haverá um controle sobre o nível de capital dessas instituições\", segundo alguns operadores de mesa.
 
A Costa do Marfim exportou 75.467 toneladas de café robusta entre outubro e maio, primeiros oito meses da temporada 2009/10, 22.665 toneladas, ou 43%, acima das 52.802 toneladas embarcadas um ano antes, mostraram dados portuários nesta segunda-feira.  O país responde por quase 2% da produção total global, além de ser o segundo maior produtor de café da África, depois da Etiópia. O ano comercial do grão começa em outubro e termina em setembro do ano seguinte, atingindo o pico entre janeiro e maio. As informações são da Dow Jones.
 

Infocafé é um informativo diário, da Mellão Martini
 

Veja tambÉm: