Tecnologias

Café adaptado à mecanização chega ao mercado em breve

 

postado em 27/05/2010 | Há 7 anos

Epamig e Ufla mostram avanços da pesquisa na edição 2010 da Expocafé

Portal Dia do Campo

Um simpósio sobre o projeto de obtenção de cultivares de café, próprias para colheita mecanizada, integra a edição 2010 da Expocafé. Conduzido pela Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig), o projeto conta com a parceria da Universidade Federal de Lavras (UFLA). A fazenda experimental de Três Pontas (MG) abre as portas, no próximo dia 15 de junho, para mostrar os progressos da pesquisa nos últimos quatro anos. A perspectiva é que a capacidade de adaptação operacional aos equipamentos modernos e outras características agronômicas favoráveis estejam reunidas numa variedade dentro de quatro a seis anos.

Chefe de pesquisa da unidade regional Epamig Sul de Minas, Gladyston Carvalho analisa que, em pouco tempo, com os avanços tecnológicos, atributos de alta produtividade, resistência e maturação precoce não serão suficientes para garantir a sustentabilidade da cafeicultura. Além de primar por materiais que propiciem a retirada de frutos maduros, preservando os verdes no pé, os estudos também buscam medir a eficiência de derriça e desfolhamento, bem como reduzir a bienalidade e o índice de danos do processo.

Temos campos de produção de sementes cultivados com variedades potenciais, tanto novas quanto já recomendadas, na fazenda São Sebastião do Paraíso e em propriedades particulares, situadas na região de Lavras. Estamos estendendo a outras localidades para acompanhar a influência do clima na maturação, desprendimento e queda de folhas. Observações acerca da tolerância à ferrugem e qualidade do café em relação à mecanização também vêm sendo feitas. Já concluímos metade do objetivo e ao final devemos indicar pelo menos duas ou três cultivares — afirma.

Com apoio do Consórcio Pesquisa Café, os ensaios com as derriçadoras portáteis vão se intensificar e beneficiar o crescente mercado da agricultura familiar e cafeicultura de montanha. Testes iniciais demonstram que variedades responsivas às automotrizes ou tracionadas, em sua grande maioria não se aplicam às máquinas de pequeno porte.

Este ano, na Expocafé, divulgaremos resultados parciais e tendências. Há, ainda, dissertações de mestrado e teses de doutorado sendo publicadas pela UFLA. O interesse de algumas instituições públicas e privadas em participar do programa pode fomentar a expansão das ações e acelerar as conclusões— diz ele.

 

Veja tambÉm: