Mercado

COTAÇÃO DO CAFÉ - N.Y. finalizou as operações nesta quinta-feira registrando leve alta

 

postado em 29/04/2010 | Há 8 anos

de 29/04/10.      

 
MERCADO INTERNO
 
BOLSAS N.Y. E B.M.F.
Sul de Minas R$ 283,00 R$ 273,00  
Contrato N.Y.
Fechamento
Variação
Mogiano R$ 283,00 R$ 273,00 Maio/2010 134,50 +0,65
Alta Paulista/Paranaense R$ 273,00 R$ 263,00 Julho/2010 134,60 +0,70
Cerrado R$ 288,00 R$ 278,00 Setembro/2010 135,95 +0,65
Bahiano R$ 273,00 R$ 263,00  
* Cafés de aspecto bom, com catação de 10% a 20%.
Contrato BMF
Fechamento
Variação
Cons Inter.600def. Duro R$ 222,00 R$ 218,00 Maio/2010 175,80 +0,05
Cons Inter. 8cob. Duro R$ 232,00 R$ 228,00 Setembro/2010 159,35 +0,60
Dólar Comercial: R$ 1,7320 Dezembro/2010 162,05 +0,85

N.Y. finalizou as operações nesta quinta-feira registrando leve alta, a posição julho variou entre a máxima de + 1,10 pontos e mínima de - 0,90 fechando com + 0,70 pts. Compras de fundos especulativos mantiveram os futuros em território positivo, entretanto, a valorização é limitada pela forte resistência que está sobre o mercado e pelos fundamentos baixistas relacionados à próxima safra brasileira.
 
O mercado cambial encerrou a sessão de hoje em campo negativo, nem mesmo dois leilões de compra realizado pelo Banco Central foram suficientes para conter o volume de vendas e a consequente queda na cotação do dólar, que fechou com -1,09%. Segundo operadores, o real se fortaleceu diante de alguns fatores, como: a alta mais agressiva da taxa básica de juros da economia brasileira (taxa Selic) na reunião de ontem do Comitê de Política Monetária (Copom), o clima mais calmo no mercado internacional com a perspectiva de que a Grécia receba um pacote de ajuda em questão de dias e o excesso de liquidez no mercado global.
O Banco Central realizou o primeiro leilão de compra de dólares, no período da manhã e fixou a taxa de corte em R$ 1,7328. À tarde, voltou ao mercado e realizou o segundo leilão, comprando dólares à taxa de R$ 1,7309. Esta foi a segunda vez este ano que o BC fez dois leilões no mesmo dia. Após a realização do segundo leilão, o secretário do Tesouro Nacional, Arno Augustin, declarou em entrevista à imprensa, que a valorização do real preocupa o governo e que o Tesouro irá acelerar a compra de moeda para conter a pressão no câmbio. Ele ainda acrescentou que a compra de dólares pelo Fundo Soberano do Brasil (FSB) não se limita aos recursos depositados no fundo, hoje de R$ 17 bilhões, já que a legislação permite ao Tesouro emitir títulos para que o FSB compre mais moeda americana. As declarações, dadas quando faltava pouco mais de meia hora para encerrar o pregão, não tiveram, entretanto, grande efeito sobre a cotação da moeda, que já vinha ladeira  abaixo.

Uma tecnologia desenvolvida por pesquisadores brasileiros permite introduzir modificações genéticas em áreas específicas do café, como as folhas ou a raiz, sem que o grão sofra mudanças. A tecnologia transgênica produz plantas mais resistentes à enfermidades e à condições ambientais difíceis, sem modificar as características do fruto, como o sabor, o aroma ou a qualidade do café, segundo apontou a Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária). Os avanços científicos foram obtidos por pesquisadores do Consórcio para Pesquisa Cafeeira, juntamente com especialistas da Unesp (Universidade Estadual Paulista) e do Instituto Agronômico. Os pesquisadores conseguiram exilar dois promotores da planta de café que permitem dirigir e controlar a expressão dos genes sobre os quais atual, o Promotor CalsoR, que tem ação sobre as folhas, e o Promotor Caperox, que tem ação sobre as raízes. Assim, a manipulação desses promotores permite desenvolver plantas geneticamente modificadas, porém de forma segura e eficiente.

De acordo com a pesquisadora Miriam Maluf, da Embrapa, esse trabalho é inédito entre os transgênicos, já que os promotores modificam apenas uma região específica da planta, que necessita de proteção ou alteração. \"O promotor se acopla a um gene determinado com o que se queira melhorar na planta, sem afetar as demais partes e muito menos o fruto do grão\", disse. \"E esse mecanismo apenas é ativado em caso de necessidade, isto é, em resposta a um estímulo externo, o que representa maior segurança aos consumidores\", complementou. Os responsáveis pelo estudo apontaram que o gene modificado apenas é ativado se a planta sofrer um ataque biótico, como pode ser um fungo nas folhas ou uma enfermidade nas raízes. As informações são da Embrapa Café.


Infocafé é um informativo diário, da Mellão Martini
 

Veja tambÉm: