Tecnologias

Embrapa apresenta agente de controle biológico da broca-do-cafe no VII Ciência para a Vida

 

postado em 23/04/2010 | Há 7 anos

GERAL
23/04/2010
 
Embrapa apresenta agente de controle biológico no VII Ciência para a Vida
 
 
08h05
Atenta à crescente preocupação com a saúde de agricultores e de consumidores, a Embrapa Rondônia trabalha na identificação de agentes biológicos para o controle da broca-do-café, a principal praga da cafeicultura no Norte do Brasil. O objetivo é substituir os agrotóxicos por soluções menos danosas às pessoas e ao meio ambiente. Os pesquisadores já identificaram quatro variações do fungo Beauveria bassiana com alto poder de combate ao inseto e mostram a novidade no VII Ciência para a Vida, evento que reúne em Brasília, de 24 de abril a 2 de maio, tecnologias da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) desenvolvidas em todas as partes do país.


No evento será possível ver a ação do fungo na broca-do-cafe. A Beauveria bassiana é um inimigo natural do inseto e pode levá-lo à morte em 72 horas. Como a broca é muito pequena, com o tamanho equivalente ao de uma pulga, será instalada uma lupa especial, parecida com um microscópio, para que os visitantes possam enxergar as estruturas brancas que o fungo desenvolve depois de infectar o inseto.


A broca se alimenta de frutos de café e cria canais que causam o apodrecimento dos grãos e trazem prejuízos ao produtor. Em um dos levantamentos realizados pela Embrapa Rondônia em época de colheita, foram verificadas infestações de 34% a 41% em lavouras de café Conilon do Estado, índices considerados preocupantes. Os insetos nascem e vivem dentro dos grãos, que podem ser infestados por mais de 20 brocas.


O controle da praga pode ser feito com inseticidas, mas no ano passado a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) recomendou o banimento do endossulfan, um dos agrotóxicos utilizados no combate à broca-do-café. De acordo com a agência, estudos apontam graves riscos à saúde das pessoas. O químico apresenta alta toxicidade, pode provocar desregulação endócrina e danos no sistema nervoso central.


Com a proibição do uso do endossulfan, tornou-se ainda mais essencial o desenvolvimento de alternativas para o controle da praga, explica o pesquisador José Nilton Medeiros Costa, da Embrapa Rondônia. A Beauveria bassiana é um fungo prejudicial somente à broca-do-café e não traz danos à saúde das pessoas e nem ao meio ambiente. Por isso, se mostra uma boa boa alternativa para o controle da praga, afirma o pesquisador.
Avaliações em laboratório e em campo
Os pesquisadores da Embrapa Rondônia avaliaram 47 variações do fungo Beauveria bassiana para identificar as mais letais à broca-do-café. Com os testes em laboratório foi possível isolar quatro variações com alto índice de eficiência. Os fungos foram testados em uma área experimental da Embrapa Rondônia localizada no municípío de Machadinho d\'Oeste. Para finalizar o processo de avaliação da tecnologia, deverão ser testadas este ano diferentes concentrações e épocas de aplicação.

Além de conhecer os fungos e as brocas, os visitantes do VII Ciência para a Vida poderão experimentar o café produzido com a tecnologia da Embrapa em Rondônia. Será servido café expresso cultivado e beneficiado no Campo Experimental de Ouro Preto do Oeste, uma área da Embrapa Rondônia localizada em uma importante região cafeeira do Estado.

O Ciência para a Vida é o principal evento organizado pela Embrapa e tem como objetivo aproximar as pessoas da pesquisa e da tecnologia agropecuárias. Esse ano, além de mostrar o resultado do trabalho da Embrapa, o evento vai homenagear os 150 anos do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, comemorar os 50 anos de Brasília e oferecer atrações, encontros e debates. A entrada é gratuíta e as atividades acontecem na sede da Embrapa, em Brasília, de 24 de abril a 2 de maio, das 9h às 21h.

 

Veja tambÉm: