Mercado

COTAÇÃO DO CAFÉ - N.Y. finalizaram a terça-feira registrando leve alta

 

postado em 30/03/2010 | Há 7 anos

Infocafé de 30/03/10.    

 
MERCADO INTERNO
 
BOLSAS N.Y. E B.M.F.
Sul de Minas R$ 290,00 R$ 280,00  
Contrato N.Y.
Fechamento
Variação
Mogiano R$ 290,00 R$ 280,00 Maio/2010 138,95 +0,80
Alta Paulista/Paranaense R$ 280,00 R$ 270,00 Julho/2010 140,55 +0,95
Cerrado R$ 295,00 R$ 285,00 Setembro/2010 141,75 +0,95
Bahiano R$ 280,00 R$ 270,00  
* Cafés de aspecto bom, com catação de 10% a 20%.
Contrato BMF
Fechamento
Variação
Cons Inter.600def. Duro R$ 225,00 R$ 220,00 Maio/2010 171,20 +0,30
Cons Inter. 8cob. Duro R$ 235,00 R$ 230,00 Setembro/2010 163,70 +0,80
Dólar Comercial: R$ 1,7950 Dezembro/2010 166,10 +0,65

As operações em N.Y. finalizaram a terça-feira registrando leve alta, a posição maio variou entre mínima de -0,85 pontos e máxima de + 0,85 fechando com + 0,80 pts. Compras de fundos e especuladores baseando-se em indicadores técnicos puxaram as cotações. Mercado interno permanece bem procurado principalmente para cafés de melhor qualidade.
 
O dólar fechou em queda pelo segundo dia seguido, com -0,17% cotado a R$ 1,7950. A moeda americana  já começou o dia em baixa ante o real, com os dados da economia americana favoráveis estimulando as Bolsas de Nova York e o bom humor do investidor. Em seguida, a percepção do mercado de que a Grécia teve de pagar um prêmio elevado na emissão de 5 bilhões de euros em títulos de sete anos fechada ontem, um sinal da fraca demanda pelos títulos, reacendeu as preocupações com a situação fiscal do país e sua capacidade de levantar novos recursos. Nos Estados Unidos, o índice de confiança do consumidor dos EUA, medido pelo Conference Board, subiu de 46,4 em fevereiro para 52,5 em março e ficou acima da previsão média dos analistas, que era de avanço para 51. O índice que mede a avaliação dos consumidores para as condições econômica s atuais também subiu, de 21,7 em fevereiro para 26 em março. Originalmente, havia sido anunciado um número de 19,4 para fevereiro.
 
O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) está convocando as instituições financeiras a firmarem contratos com o Fundo de Defesa da Economia Cafeeira (Funcafé), que oferecem linhas de financiamentos de custeio, colheita, estocagem e Financiamento para Aquisição de Café (FAC) . Os interessados deverão encaminhar o pedido de contratação até 9 de abril, à Secretaria de Produção e Agroenergia (SPAE) do Mapa, Esplanada dos Ministérios, Bloco D, 7º andar, edifício-sede, Brasília/DF, CEP 70043-900.  Para o diretor do Departamento do Café da SPAE, Lucas Ferreira, o Fundo dispõe de R$ 2,08 bilhões para atender a essas linhas de financiamento. Cabe aos agentes financeiros integrantes do Sistema Nacional de Crédito Rural (SNCR) informar o montante requerido, conforme a demanda dos financiamentos que serão concedidos aos beneficiários. Eles devem estar amparados pela resolução do Conselho Monetário Nacional nº 3.451, de 5 de abril de 2007 e pelos limites constantes da Portaria Interministerial Mapa/MF nº 262/10 Os documentos necessários para a assinatura do contrato constam do Aviso do Mapa, publicado no Diário Oficial da União desta segunda-feira. As informações são do portal do Ministério da Agricultura.
 
O número de cafeterias no Reino Unido aumentou em cerca de 5,8% no ano, apesar das difíceis condições de comércio, afirmou o diretor de gerenciamento da consultoria Allegra Strategies, Jeffrey Young. Ele estima que o número de pessoas que frequentam cafeterias no Reino Unido aumentou aproximadamente 1,2% no ano e o mercado agora é avaliado em 4 bilhões de libras (US$ 5,9 bilhões). \"As redes estão liderando o crescimento\", disse, ponderando que não só empresas como a Cafe Nero e Costa Coffee tiveram aumento das vendas na comparação com o ano anterior, mas também houve melhor desempenho nas cafeterias independentes. As informações são da Dow Jones.

 

Infocafé é um informativo diário, da Mellão Martini
 

Veja tambÉm: