Mercado

Stephanes apoia reivindicação do setor de café sobre drawback

 

postado em 28/03/2010 | Há 7 anos

Agência Estado

São Paulo, 26 - O ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes, disse hoje que os baixos custos de mão de obra no Vietnã podem desestimular o investimento da indústria de café solúvel no Brasil, se nada for feito. Em reunião ontem, em Brasília, os representantes do setor voltaram a pedir ao governo a inclusão do produto na política de drawback, limitado a 20% do volume de café solúvel exportado por ano, o equivalente a 600 mil sacas.

\"Ou encontramos solução, ou a indústria de café solúvel vai ter que deixar o País em busca de custos menores de produção\", disse Stephanes em entrevista a jornalistas, após receber o título de sócio honorário da Sociedade Rural Brasileira (SRB), pelo trabalho desenvolvido à frente do ministério.

Ministério da Fazenda

Em referência às dificuldades para liberação, pelo Ministério da Fazenda, de recursos para apoio à comercialização de produtos agrícolas, Stephanes defendeu mais agilidade no processo de decisão. \"Existem opiniões divergentes. Está havendo uma demora porque muitos órgãos participam do debate\", disse. \"A agricultura tem ciclos - plantio, colheita e comercialização - e não pode esperar a burocracia pública\", acrescentou.

Por fim, o ministro defendeu a manutenção de preços mínimos para o milho, em função da enorme variedade de produtos derivados e do peso na alimentação de aves, suínos e gado confinado. \"Só há milho em estoque para 60 dias. Tem que haver a previsibilidade de que o agricultor continue plantando, no mínimo, a área atual.\"

 

Veja tambÉm: