Comércio

Vale compra ativos de filial brasileira da americana Bunge

 

postado em 28/01/2010 | Há 8 anos

Vale compra ativos de filial brasileira da americana Bunge Rio de Janeiro, 27 jan (EFE).- A Companhia Vale do Rio Doce anunciou hoje a compra, por meio da subsidiária Mineração Naque, dos ativos da filial brasileira da empresa americana de adubos Bunge Participações e Investimentos por US$ 3,8 bilhões.

O negócio inclui duas minas de rocha fosfática e quatro plantas de processamento de fosfatados que a Bunge tem no país, por um desembolso de US$ 1,650 bilhão.

Na operação, a Vale comprou a participação de 42,3% na capital da Fertilizantes Fosfatados (Fosfertil), que a mesma empresa tinha vendido a Bunge em 2004, por US$ 2,150 bilhões.

Fosfertil opera três minas de rocha fosfática e é a maior produtora do país de adubos fosfatados e dos fabricados a base de nitrogênio.

Se as autoridades aprovarem a operação, a Vale fará uma oferta pública obrigatória para comprar as ações ordinárias das mãos dos acionistas minoritários da Fosfertil, assinalou a empresa em comunicado. A Vale vai estudar a possibilidade de fazer uma reorganização corporativa para combinar os ativos e empresas adquiridas nesta operação com as que já contava neste setor.

Conforme o presidente da mineradora, Roger Agnelli, a operação servirá para consolidar sua estratégia no setor de fosfatos, contando com as minas brasileiras, a peruana Bayóvar e a moçambicana Evate, projetos em desenvolvimento.

Estas plantas de produção de fosfatos, combinados com outros projetos que a Vale iniciou na área de potássio, permitirão a criação de "um novo líder global na indústria de adubos", afirmou Agnelli em nota.

A empresa possui plantas de potássio, matéria-prima para fabricar adubos, em Sergipe e no Canadá e outras duas na Argentina, com as quais espera alcançar em um curto prazo um volume de produção de 12 milhões de toneladas anuais, o que a transformará em uma dos líderes mundiais do setor.

A Vale é uma das maiores mineradoras do mundo e é a primeira em exportação de minério de ferro, mas nos últimos anos tem trabalhado para diversificar seus produtos.

Fonte: UOL

 

Veja tambÉm: