Mercado

OPÇÕES DE CAFÉ - Produtores do Paraná, pedem prorrogação do prazo de entrega

 

postado em 26/01/2010 | Há 7 anos

Esta é a última semana para entrega do café referente à primeira etapa do Aviso 216 dos contratos de opção de venda ao governo, para 800 mil sacas. Os produtores do Paraná, no entanto, querem prorrogação do prazo de entrega por mais 30 dias, conforme ofício da Federação da Agricultura do Estado do Paraná (Faep), encaminhado ao ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes, e ao presidente da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), Wagner Rossi.

No documento, o presidente da Faep, Ágide Meneguete, justifica que "perdas de qualidade afligem o setor produtivo, pois mais da metade dos lotes de café paranaense, cujos contratos de opção de venda foram adquiridos em leilão, não passaram nos testes de qualidade avaliados pelo laboratório contratado pela Conab."

Conforme Meneguete, os próprios técnicos do Ministério da Agricultura e do Instituto Agronômico do Paraná (Iapar) comprovaram que o café paranaense tem a qualidade necessária para ser comercializado. Por isso, será realizada uma harmonização entre os técnicos do País para esclarecer o assunto na próxima terça-feira (2 de fevereiro), em Varginha (MG).

Ocorre, porém, que o prazo de entrega do café da primeira etapa do Aviso 216 vai até a próxima sexta-feira (29 de janeiro), três dias antes da harmonização técnica. "Este prazo fará com que muitos produtores deixem de exercer suas opções pelo fato de não haver esclarecimentos suficientes para garantir que o produto não seja devolvido e o ônus disso seja arcado integralmente por eles próprios", explica Meneguete no documento.

Estima-se que poderão ser entregues aproximadamente 195 mil sacas de 60 kg pelos produtores paranaenses, que adquiriram os contratos de opção. Eles receberão R$ 309,00 por saca. Como cada produtor pôde adquirir 4 contratos, cerca de 487 produtores dependem da ampliação do prazo.
 

Veja tambÉm: