Mercado

Café: Governo e cafeicultores avaliam medidas, segunda-feira (01) em São Sebastião do Paraíso

 

postado em 26/01/2010 | Há 8 anos

Na segunda (01/02) haverá nova rodada de avaliação em São Sebastião do Paraíso, buscando um entendimento mais amplo sobre a situação dos produtores de café

A análise dos objetivos propostos e dos resultados concretos alcançados pelo conjunto de medidas que o governo tomou em favor da cafeicultura em 2009, em atendimento aos pleitos do SOS Cafeicultura, será tema de reunião na próxima segunda-feira (1º de fevereiro), em São Sebastião do Paraíso, com a presença das cooperativas e lideranças do Conselho Nacional do Café e da Frente Parlamentar do Café, com a presença do secretario de Produção e Agroenergia do Minstério da Agricultura, Manoel Bertone.

A decisão sobre a reunião saiu na terça-feira (26) na sede do Conselho Nacional do Café (CNC), em São Paulo, durante visita do secretário executivo do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Gerardo Fonteles; e do secretário de Produção e Agroenergia, Manoel Bertone, com a presença dos presidentes do CNC, Gilson Ximenes, e da Frente Parlamentar, deputado Carlos Melles.

Embora as lideranças reconheçam que as medidas governamentais tenham proporcionado fôlego aos produtores que conseguiram acessar os benefícios – já que em muitos municípios existe a queixa de dificuldade ou de ausência de disponibilidade dos bancos para operacionalizar o anunciado pelo governo, por outro lado fica claro que ainda persiste o grave cenário de falta de renda no setor produtor da cafeicultura, penalizando o produtor de forma crescente – e altamente negativa, inviabilizando o almejado crescimento sustentado de cafeicultura.

“Vamos reunir para discutir o que foi anunciado e o que chegou nas mãos dos produtores de café. O objetivo é conhecer a realidade para que as medidas tenham maior eficiência”, explica o presidente do CNC, Gilson Ximenes.

“Estamos em busca de um entendimento mais amplo e profundo sobre o impacto das medidas”, explicou o deputado Carlos Melles. Para o deputado “o intuito é legítimo e fundamental, porque tanto o governo quanto os cafeicultores, querem ter uma noção exata do alcance das medidas”. Melles diz que vê avanços nas decisões do governo para o café, com pontos importantes para que o país possa retomar seu lugar de formulador de políticas mundiais para o café, mas frisa que igualmente vem recebendo informações de todas as regiões produtores de café, com produtores manifestando seu desagrado com as dificuldades para renegociarem seus débitos junto aos bancos.

 

Veja tambÉm: