Mais Café

Café, além de paixão nacional, ajuda na prevenção de doenças crônicas

 

postado em 24/11/2009 | Há 7 anos

23/11/2009 23:11:03 - Universia Brasil

23/11/2009 23:11:03 - Universia Brasil
Doutorado de professor de Engenharia Química da Unisanta detecta que o café ajuda a prevenir doenças como Alzheimer, mal de Parkinson e esquizofrenia, entre outras

A ação antioxidante do café, que pode proteger o organismo da ação de radicais livres, principais responsáveis pelo desenvolvimento de doenças crônicas como câncer, doença de Alzheimer, mal de Parkinson, doenças cardiovasculares, diabetes, catarata e esquizofrenia, foi uma das conclusões feitas pelo professor da Universidade Santa Cecília (Unisanta), Silvio José Valadão Vicente, em sua tese intitulada "Caracterização antioxidante do café (Coffea arabica, L) e efeitos da sua administração oral em ratos".

Em agosto de 2009, o professor, que é titular do curso de Engenharia Química da Unisanta, defendeu na Universidade de São Paulo - USP seu doutorado, aprovado por unanimidade.

Após os testes em laboratório, o pesquisador administrou pequenas doses diárias de café a ratos, pois estes animais apresentam metabolismo hepático (fígado) bastante similar ao dos humanos. Depois de um mês, verificou aumento significativo em três das enzimas que participam da proteção contra estes radicais livres (+74,8% para a superóxido dismutase, +59,4% para a catalase e +135,2% para a glutationa peroxidase), o que resultou na maior proteção dos animais contra as doenças citadas.

Devido à importância do tema desenvolvido na área da nutrigenômica (uso dos alimentos para a otimização da saúde), os resultados da pesquisa já foram apresentados nos congressos internacionais do Institute of Food Technologists - IFT, em junho/2009, em Anaheim/EUA e no International Society for Nutraceuticals & Functional Foods ? ISNFF, realizado em novembro/2009, em São Francisco/EUA. Com o objetivo de divulgar as conclusões obtidas, mais três artigos estão sendo finalizados para publicação em revistas científicas internacionais.

Contraindicação - Apesar dos excelentes resultados obtidos no estudo, o café tomado regularmente é contraindicado para pessoas que apresentam hipertensão arterial pois o excesso de cafeína pode agravar esta situação.

Pelo mesmo motivo, a bebida também deve ser evitada por pessoas com tendência à perda de cálcio e osteoporose, principalmente mulheres após a menopausa. Nestes casos, é sugerido o consumo de café descafeinado que tem quase a mesma capacidade protetora e é praticamente isento de cafeína.


 

 

Veja tambÉm: