Mercado

Frente Parlamentar do Café e lideranças, pedem que dívidas sejam pagas com café pelo valor de R$ 314,00

 

postado em 28/08/2009 | Há 8 anos

Atendendo a uma solicitação do Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o ministro de Estado Chefe da Secretaria de Relações Institucionais, José Múcio Monteiro, recebeu a Frente Parlamentar do Café e as lideranças do setor produtor da cafeicultura nacional. Em apresentação sucinta, feita pelo deputado federal Carlos Melles, que preside a FPC, foram expostos os pleitos dos cafeicultores, que se embasam, especificamente, na possibilidade de conversão de todas as dívidas da cafeicultura (Funcafé, RO, RL, CPR, entre outras) em produto físico - sacas de 60 kg - pelo valor de R$ 314,00, ao longo de 20 anos, com a quitação de 5% ao ano.
|
O ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Reinhold Stephanes, marcou presença no encontro, elucidando a conjuntura internacional do mercado cafeeiro e endossando as propostas do setor.

A respeito da situação atual da atividade, ele explicou a urgência em se adotar duas medidas de impacto, sendo elas a retirada de 10 milhões de sacas do mercado (3 milhões já foram comercializadas via Leilões de Opções), com o intuito de recompor os estoques (reguladores) do Governo e alavancar os preços, e um prazo de carência às dívidas que vencem, em grande escala, já no fim de setembro, isso porque grande parte dos produtores já negociaram seu café e não terão condições monetárias para honrar esses compromissos.

Um dos pontos mais elucidativos do encontro foi a apresentação de Stephanes, na qual apontou que não é compreensível o Brasil ser o maior produtor e exportador mundial de café, estar em vias de se tornar o maior consumidor, mas não conseguir ditar os rumos das políticas e dos preços no mercado internacional da commodity.

Com base nas informações transmitidas e também nos documentos informativos entregues pelo Conselho Nacional do Café (CNC) e pela Frente Parlamentar, o ministro José Múcio ficou sensibilizado, entendeu a situação e informou que defenderá as causas do setor, adotando, como primeira medida, o encaminhamento dos pleitos ao presidente Lula e, posteriormente, contato com o titular do Ministério da Fazenda, Guido Mantega.
 

Veja tambÉm: