Mais Café

EUA querem reduzir o consumo de açúcar no país

 

postado em 25/08/2009 | Há 8 anos

Do G1, com informações do Jornal Nacional

Os índices de obesidade preocupam cardiologistas.
Governo estuda sobretaxar refrigerantes não dietéticos.


O resultado de um estudo sobre hábitos alimentares levou cientistas americanos a divulgar recomendações novas para evitar o excesso de consumo de açúcar. Num país em que a obesidade atinge 26% da população, o consumo atingiu níveis de alerta e se tornou um desafio  para a Associação Americana de Cardiologia.

Visite o site do Jornal Nacional

A preocupação não é com o açúcar natural, como o que existe nas frutas, mas com o açúcar adicionado a alimentos, como biscoitos, iogurtes, balas e refrigerantes.

A recomendação do novo guia da associação é que as mulheres consumam, no máximo, 100 calorias desse tipo de açúcar por dia, ou 25 gramas. Isso é o equivalente a seis colheres de chá. Para os homens, o consumo diário não deve ultrapassar as 150 calorias, ou 37,5 gramas, o que corresponde a nove colheres de chá.

A recomendação é muito diferente do que acontece nos Estados Unidos, segundo uma pesquisa do governo americano. A média de consumo diário de açúcar é de 22 colheres de chá, ou 90 gramas, o equivalente a 355 calorias. A ingestão de alimentos com açúcar é três vezes maior do que a recomendada pela Associação de Cardiologia.

Os  refrigerantes são os que mais preocupam. Apenas uma lata de refrigerante comum já ultrapassa os níveis diários recomendados. O problema é tão grave que o governo estuda o aumento de impostos para esses produtos.

Os fabricantes se comprometeram a fazer uma campanha estimulando o consumo menor de bebidas com açúcar. A medida poderia reduzir os gastos de saúde para combater o que já se chama de uma epidemia de obesidade.

 

Veja tambÉm: