Consumo

CAFETERIA - Cápsula traz padrão de barista para dentro de casa, Nescafé Dolce Gusto coquista mercado

 

postado em 26/07/2009 | Há 8 anos

26/07/2009 03:07:04 - Folha de S. Paulo

GITÂNIO FORTES
DA REDAÇÃO

O hábito mais sofisticado no consumo doméstico de café no Brasil foi clonado da Europa, dos Estados Unidos e do Japão.

Está nas cápsulas de porções individuais de expresso e em suas cafeteiras praticamente à prova de erro humano.

Para preparar uma xícara, basta ler as instruções da máquina, colocar a cápsula no compartimento correto e apertar um botão. Não é preciso ser barista para obter um café considerado muito bom.

Três marcas se destacam nesse mercado atualmente no Brasil -Nespresso, Illy e Nescafé Dolce Gusto. "As três são fortes e endossam o produto, que encanta pela praticidade", diz a consultora Eliana Relvas.

A Nespresso foi a pioneira no Brasil, há dois anos e meio. Em 2008, foi a vez da Illy. Em fevereiro deste ano, a Dolce Gusto desembarcou com suas cápsulas, oferecendo também produtos à base de chocolate e leite.

Martín Pereyra Rozas, diretor da Nespresso Brasil, não revela os números da companhia no país. Mas define a evolução do mercado de luxo como "terreno fértil", que impulsiona as vendas de expresso gourmet. Em 2008, foi comercializado o triplo de máquinas que o total de 2007. A empresa espera para 2009 o dobro de 2008.

Potencial

Estimativas apontam que o mercado potencial para as cafeteiras e suas cápsulas chega a 2 milhões de pessoas, praticamente "1% da população brasileira", diz Lauro Bastos, diretor da ACN, distribuidora exclusiva da Illycaffè no Brasil.

No mercado apenas desde fevereiro deste ano, a Nestlé afirma que as vendas da marca Nescafé Dolce Gusto superam as expectativas. Para a empresa, que também não especifica os números dela no segmento, a tendência é que haja consolidação ainda maior no mercado de cafés de alta qualidade.

A depender da demanda, a Pro Teste (Associação Brasileira de Defesa do Consumidor), que avalia cafeteiras elétricas e aparelhos convencionais para preparar o expresso em casa, no futuro deve incluir as máquinas com cápsula em sua programação, afirma o pesquisador Dino Lameira.

Com manutenção adequada, os equipamentos podem durar uma década, diz Bastos, da ACN, distribuidora da Illycaffè.

Em tempo: se você quiser comprar apenas uma cafeteira e experimentar as cápsulas de outras marcas, isso não é possível. A máquina de cada uma só processa o respectivo produto. Exclusividade é tudo.

 
 

 

Veja tambÉm: