Produção

6ª Edição da Qualicafés discute perspectivas para arábica no ES

 

postado em 30/05/2009 | Há 8 anos

29/05/2009 - A sexta edição da Qualicafés (Feira Tecnológica do Agronegócio Café) que acontece no município de Venda Nova do Imigrante, Espírito Santo, desta quinta, dia 28, até o próximo sábado, dia 30, traz como um de seus principais temas as perspectivas para o agronegócio do café. Na oportunidade, o Incaper (Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural), órgão vinculado à Seag (Secretaria de Estado da Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca), lança o programa Renovar Arábica para apresentar aos produtores as novas tecnologias desenvolvidas pelo Instituto, com foco no aumento da produtividade.

Simultaneamente ao 6 Qualicafés, é realizada a 8 Feira do Agronegócio Hortícola do Espírito Santo a Hortifeira. São três dias de atividades, incluindo palestras, minicursos, estandes, oficinas e apresentações culturais. O encerramento será no sábado, dia 30, às 22 horas. A expectativa é que 2.000 agricultores visitem o local durante o período.

O principal objetivo do evento, realizado por meio de parceria entre o Incaper, a Prefeitura de Venda Nova Imigrante do Imigrante e a Seag, é capacitar os agricultores para as principais atividades agrícolas desenvolvidas na região. "O objetivo será difundir informações e tecnologias para a produção do café arábica, do tomate e da tangerina Ponkan", destacou o extensionista do Incaper em Venda Nova do Imigrante, Fabiano Tristão dos Santos.

Cultura O Espírito Santo é o segundo maior produtor nacional de café, sendo que as espécies desenvolvidas no Estado são o arábica e o Conilon. São 600 mil hectares destinados à cultura, que é desenvolvida por mais de 56 mil famílias. Em 2008, o Estado obteve uma safra histórica de 10,3 milhões de sacas, com o aumento de 6,7% da produção em relação ao ano anterior. O café constitui-se como a maior fonte de renda na agricultura estadual.

O diretor presidente do Incaper, Evair Vieira de Melo, destacou que as tecnologias do Instituto, previstas no programa Renovar Arábica, vão impulsionar o desenvolvimento da atividade cafeeira. Essa é uma ferramenta do Governo, que tem como desafio aumentar a produtividade do arábica, e os produtores vão poder contar com a experiência e a tecnologia do Incaper para o desenvolvimento de suas plantações, avaliou.

 

Veja tambÉm: