Mercado

COTAÇÃO DO CAFÉ - N.Y. finalizou as operações nesta quarta-feira em campo negativo

 

postado em 27/05/2009 | Há 8 anos

Infocafé de 27/05/09    

 
MERCADO INTERNO
 
BOLSAS N.Y. E B.M.F.
Sul de Minas R$ 270,00 R$ 260,00  
Contrato N.Y.
Fechamento
Variação
Mogiano R$ 270,00 R$ 260,00 Julho/2009 135,50 -0,95
Alta Paulista/Paranaense R$ 260,00 R$ 250,00 Setembro/2009 137,40 -0,90
Cerrado R$ 275,00 R$ 265,00 Dezembro/2009 139,15 -0,95
Bahiano R$ 260,00 R$ 250,00  
* Cafés de aspecto bom, com catação de 10% a 20%.
Contrato BMF
Fechamento
Variação
Cons Inter.600def. Duro R$ 238,00 R$ 235,00 Julho/2009 145,45 +0,45
Cons Inter. 8cob. Duro R$ 240,00 R$ 238,00 Setembro/2009 149,85   0,00
Dólar Comercial: R$ 2,0150 Dezembro/2009 155,10 +0,45

  N.Y. finalizou as operações nesta quarta-feira em campo negativo, com a posição julho variando entre a máxima de +1,35 e mínima de -2,35 pontos, fechando com -0,95. As cotações iniciaram o dia em campo positivo impulsionadas por compras de fundos e especuladores, porém  vendas de origens e realizações de lucros acompanhando o mau humor no mercado de ações pressionaram negativamente as cotações.

Os fundamentos não tiveram nenhuma notícia nova que pudesse dar direção aos preços, após o fechamento eletrônico, a ICE continuou pressionada por novas vendas, fazendo julho/09 renovar mínimas.
  O dólar encerrou os trabalhos com queda de 0,15% sendo a menor cotação dos últimos sete meses, pressionado pelo contínuo ingresso de moeda estrangeira no país.

O Banco 
Central voltou a comprar moeda no mercado à vista, optando por acionar os agentes financeiros bem próximo ao final da sessão. A autoridade monetária aceitou ofertas por R$ 2,015 (taxa de corte). O fluxo cambial, que mede a entrada e saída de dólares no país, ficou positivo em US$ 3,086 bilhões nos 22 primeiros dias de maio, segundo dados do Banco Central. Trata-se do melhor resultado desde abril do ano passado, quando entraram no país US$ 6,7 bilhões.

  Para financiar a colheita do café safra 2009, o Fundo de Defesa da Economia Cafeeira (Funcafé) autorizou, na última segunda-feira (25), a liberação de mais R$ 120 milhões.

Somados aos R$ 160 milhões, autorizados pelo Fundo na semana passada, já são R$ 280 milhões destinados a esta modalidade de financiamento. Para acessar a linha de crédito, cafeicultores e cooperativas devem procurar um dos agentes financeiros credenciados até o momento. Ao todo, o Funcafé irá destinar R$ 450 milhões para colheita da safra atual, conforme determina a Portaria Interministerial (Ministérios da Agricultura e da Fazenda) nº 271/2009. As informações são do Portal do Ministério da Agricultura.

  Inovação científica, competitividade e mudanças climáticas serão os temas do 6º Simpósio de Pesquisa dos Cafés do Brasil, de 2 a 5 de junho, no Centro de Convenções de Vitória/ES. O evento, promovido pelo Consórcio Brasileiro de Pesquisa e Desenvolvimento do Café (CBP&D/Café),  será realizado neste ano pela Embrapa Café e pelo Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper).

O simpósio é voltado a pesquisadores, técnicos, professores, estudantes universitários, extensionistas, lideranças de associações e cooperativas, empresários, produtores agrícolas e interessados no desenvolvimento do agronegócio café, imprensa especializada. Estão programados pain&eacu te;is e minicursos relacionados à sustentabilidade da produção e à qualidade do produto final. Mais informações no site da Embrapa Café.


  A exportação de café da Colômbia, México, Peru, República Dominicana e América Central em abril passado apresentou queda de 18%, para 2.380.647 sacas de 60 kg, em relação ao mesmo mês de 2008 (2.910.566 sacas), informa a Associação Nacional de Café da Guatemala (Anacafe). Nesse grupo estão incluídos cinco países da América Central (Guatemala, Costa Rica, Honduras, El Salvador e Nicarágua). 

O total exportado por esse grupo de países da América latina nos primeiros sete meses da safra 2008/09 (1º de outubro a 30 de abril) registra queda de 7,9%, para 15.508.058 sacas, em comparação com embarque de 16.843.408 sacas no mesmo período da safra anterior, diz a Anacafe. 

O resultado do levantamento da Anacafe confirma relatórios privados de traders, exportadores e pro dutores, os quais revelam que a safra 2008/09 está atrasada em cerca de um mês na maioria das regiões produtoras, além de ser muito baixa em vários países. A exportação de café nesses nove países na safra 2007/08 (outubro a setembro) encerrou com aumento de 3,7%, para 29.278.062 sacas, ante 28.239.387 sacas no período 2006/07, informa a Anacafe. 

Todos os nove países produzem quase exclusivamente café arábica lavado, que nas estatísticas internacionais de exportação são considerados como café arábica suave. O grupo de nove países representa entre 85% e 90% do total das exportações de arábica lavado da América Latina e entre 75% e 80% do total da exportação mundial de arábica lavado. As informações são da Dow Jones.
 

Infocafé é um informativo diário, da Mellão Martini
 

Veja tambÉm: