Mercado

COTAÇÃO DO CAFÉ - N.Y. com feriado Memorial Day mercado interno ficou totalmente travado

 

postado em 26/05/2009 | Há 8 anos

Infocafé de 25/05/09    

 
MERCADO INTERNO
 
BOLSAS N.Y. E B.M.F.
Sul de Minas R$ 270,00 R$ 260,00  
Contrato N.Y.
Fechamento
Variação
Mogiano R$ 270,00 R$ 260,00 Julho/2009 135,00 Feriado
Alta Paulista/Paranaense R$ 260,00 R$ 250,00 Setembro/2009 136,90 Feriado
Cerrado R$ 275,00 R$ 265,00 Dezembro/2009 138,00 Feriado
Bahiano R$ 260,00 R$ 250,00  
* Cafés de aspecto bom, com catação de 10% a 20%.
Contrato BMF
Fechamento
Variação
Cons Inter.600def. Duro R$ 238,00 R$ 235,00 Julho/2009 144,75 0,00
Cons Inter. 8cob. Duro R$ 240,00 R$ 238,00 Setembro/2009 149,05 0,00
Dólar Comercial: R$ 2,0250 Dezembro/2009 154,00 0,00

  Sem o referencial de N.Y., devido ao feriado nacional em comemoração Memorial Day, nos Estados Unidos, o mercado interno ficou totalmente travado neste início de semana.

  O dólar fechou inalterado, com 0,10% de queda, em um dia moroso devido aos feriados locais, o que contribuiu para esvaziar o giro do dia. Para o decorrer da semana, a agenda econômica é bem importante, pois, sexta-feira é o último dia útil do mês, data da Ptax (taxa média de câmbio) que vai servir de referência para o vencimento dos contratos futuros de dólar. Com isso, a tendência de volatilidade das cotações aumenta durante estes dias, já que agentes financeiros entram no mercado para influenciar a formação dessa taxa conforme interesse a alta ou a baixa dos preços.

  O secretário de Produção e Agroenergia, Manoel Bertone, do Ministério da Agricultura, informou hoje que a área econômica do governo autorizou a elaboração de estudos para avaliar uma possível compra de café, para sustentar os preços do produto. "O governo vai se mostrar mais ativo na defesa da cafeicultura", disse.

  Segundo ele, a possibilidade de compra de café será incluída na proposta orçamentária de 2010, mas o Ministério da Agricultura poderá atuar neste ano, como já faz no setor de açúcar. "A compra poderá ser direta, ou por meio de outros instrumentos de política agrícola, como os Aquisições do Governo Federal (AGF), explicou Bertone.

  Ele observou, no entanto, que não acha que seja o caso de intervir no mercado este ano, "pois a produção será baixa". "Trata-se de medida preventiva", acrescentou. Com a medida, o governo poderá recompor estoques os estratégicos, que totalizam atualmente cerca de 500 mil sacas. O secretário comentou que os juros do Funcafé devem ser reduzidos dos atuais 7,5% para 6,75%. Voto agrícola nesse sentido será encaminhado ao Conselho Monetário Nacional. 

  Bertone informou, ainda, que o ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes,assinou na quinta-feira passada portaria interministerial autorizando o programa de opções de venda de café ao governo. O comunicado com aviso de venda deverá ficar pronto nos próximos dias, com a data do primeiro leilão. Ele disse que serão quatro leilões, com vencimento das opções em novembro (1 milhão de sacas), janeiro (800 mil sacas), fevereiro (700 mil sacas) e março (500 mil sacas). O valor de exercício será de, respectivamente, R$ 303,50, R$ 309, R$ 311,70 e 314,40 a saca.

  De acordo com as regras, cada produtor poderá adquirir opções para vender, no máximo, 400 sacas, ao longo dos quatro leilões. Se o produtor adquirir o direito de venda de volume inferior a 400 sacas, o saldo restante não poderá ser transferido para terceiros.

  Em relação às críticas de produtores de café do Sul de Minas, que mostram-se insatisfeitos com a política do governo para o setor e pedem mudanças no Ministério da Agricultura, Bertone afirmou que "não é possível agradar a todos". Segundo ele, a administração de Stephanes tem sido "impecável", sem irregularidades. Agência Estado.

 

Infocafé é um informativo diário, da Mellão Martini
 

Veja tambÉm: